Patrícia Faria regressa “De Caxexe”

0

A cantora Patrícia Faria apresenta desde às 7h00 deste domingo na Praça da Independência, em Luanda, o terceiro disco de originais, “De Caxexe”, lançado sob a égide da produtora Xicote Produções, e disponível ao público ao preço de mil kwanzas.

“A partir das 14h, vou ao Belas Shopping. Contudo, o disco começa a ser vendido nos dois locais a partir das 7h00”, disse, além de explicar que o disco vai estar também disponível nas plataformas digitais.
Com uma tiragem inicial três mil cópias, o disco 18 faixas musicais, cantadas nos estilos semba e chianda. “Angola não é só kuduro, nem kizomba. É um país com uma grande multiplicidade de ritmos, que tem muito mais para oferecer. É um disco maioritariamente de semba, porque é a minha escola. Por isso trago tanto o semba de matriz conservadora, como o mais estilizado. Mas também exploro a chianda”, frisou.
Entre os artistas convidados a participar no disco, Patrícia disse que teve o cuidado de trabalhar com tanto os da nova como os da velha geração, com realce para nomes como Bonga, Xabanú, Guilhermino, Heavy C e Punidor.
Gravado quase todo em solo nacional, o disco apenas teve a masterização e algumas misturas feitas na Venezuela e Portugal. “Todo o restante trabalho foi feito em Angola”, adiantou. Depois de um jejum de dez anos, com “Baza Baza”, de 2009, a ser último trabalho divulgado, a cantora exortou os fãs a aparecerem em massa. “Apareçam para matar saudades de dez anos. De caxexe é este chegar mansinho, depois destes anos de ausência, como quem não quer nada, mas com uma vontade de dar tudo”, justificou. 
Depois de Luanda, o disco é apresentado no Huambo. Só a partir daí a cantora pretende realizar uma digressão a nível nacional.
Cantora, radialista e advogada, Patrícia Faria entrou para o mundo da música cedo, na altura como integrante do agrupamento Gingas do Maculusso, com o qual atingiu sucesso nacional. Desfeito o grupo, seguiu com a carreira a solo, que resultou no lançamento dos discos, “Eme Kia”, em 2003, e “Baza Baza”, em 2009.

Fonte: JA/LD

Share.

Sobre o autor

Avatar

Deixar uma resposta