OS NOVOS CONCEITOS DO JORNALISMO

0

 

As novas tecnologias trouxeram as novas formas de jornalismo. Alguns especialistas acreditam existir “confusão” com o uso dos termos relacionados às novas formas de jornalismo.

A verdade é que cada uma dessas novas expressões  referem- se a um espectro diferente do jornalismo, não havendo confusão ou dúvida se pensarmos no significado de cada um dos termos.

Jornalismo eletrônico

A expressão jornalismo eletrônico deve ser utilizada para referir-se  ao jornalismo que é produzido em meios eletrônicos, para meios eletrônicos ou com a ajuda deles. Não há motivo para utilizar este termo para se referir especificamente ao jornalismo praticado na Internet, como se ela fosse mais eletrônica que a televisão e o rádio, por exemplo. Assim o jornalismo na Internet é jornalismo eletrônico tanto quanto o telejornalismo, o radiojornalismo e o fotojornalismo. Muitos são os jornais, as rádios e as televisões em Angola que têm já a sua edição electrónica. O jornal do futuro vai chegar às nossas casas em formato electrónico e basta um computador, um rato e estamos, nas nossas casas, escolhendo o jornal que quisermos

 

Jornalismo digital

 

O jornalismo digital não pode ser definido apenas como o trabalho de produzir ou colocar reportagens na Internet. É preciso pensar no chat (tema); bate-papo digital; vídeos; áudio e fotografias. Reunir o maior número possível de assuntos e serviços correlatos à reportagem.

O jornalismo digital tem como característica inovadora a customização que permite ao usuário escolher ou personalizar o conteúdo de acordo com seus próprios interesses.

Começaremos por falar do  telejornalismo digital, o fotojornalismo digital, o radiojornalismo digital, o webjornalismo.

Jornalismo on-line

O termo on-line significa conectado. A expressão jornalismo on-line é a mais utilizada para se referir ao jornalismo na Internet, para a Internet ou com a ajuda dela. Com a chegada da TV digital em Angola, poderemos utilizar o termo on-line para dizer que determinada programação está disponível para acesso imediato. Daí é provável que o jornalismo on-line tenha um sentido mais amplo porque será utilizado para se referir a todos os tipos de jornalismo digital.

Ciberjornalismo

O ciberjornalismo é a convergência dos diversos tipos de jornalismo digital em um único canal: O ciberespaço.

O Filosofo Pierre Lévy diz que a cibercultura é produzida no ciberespaço, que é um novo meio de comunicação que surge da interconexão de computadores, na qual ela emerge e se transforma. Avança assim a ideia de que, “todos os elementos do ciberespaço vão seguir o rumo à integração, à interconexão, ao estabelecimento de sistemas cada vez mais interdependentes”, segundo sua própria definição:

Eu defino o ciberespaço como o espaço de comunicação aberto pela interconexão mundial dos computadores e das memórias dos computadores. Essa definição inclui o conjunto dos sistemas de comunicação eletrônicos (aí incluídos os conjuntos de redes hertzianas e telefônicas clássicas), na medida em que transmitem informações provenientes de fontes digitais ou destinadas à digitalização. (…) Esse novo meio tem a vocação de colocar em sinergia e interfacear todos os dispositivos de criação de informação, de gravação, de comunicação e de simulação. A perspectiva da digitalização geral das informações provavelmente tornará o ciberespaço o principal canal de comunicação e suporte de memória da humanidade a partir do início do próximo século”.

Webjornalismo

É o jornalismo que tem a Web como suporte técnico, podendo utilizar seus recursos de multimidialidade, interatividade, hipertextualidade, memória, instantaneidade. As experiências em Webjornalismo, por resultarem em diversos tipos de produto, são classificadas em três categorias: Webjornalismo de primeira geração, transposição de conteúdo de outras mídias, principalmente dos meios impressos; webjornalismo de segunda geração, com conteúdo próprio mas processo de produção similar a outros meios; webjornalismo de terceira geração, conteúdo próprio em formato multimídia.

Podemos dizer que Webjornalismo é jornalismo on-line, jornalismo digital e jornalismo eletrônico. Os modelos de produção dos blogs jornalísticos podem variar entre Webjornalismo de segunda e terceira geração.

 

Jornalismo móvel

Esta é outra forma recente de jornalismo digital são as notícias enviadas diretamente aos celulares através de torpedos SMS, fotografias, mensagens e videos no whatsapp. Esse novo meio de veiculação de produtos jornalísticos ainda não tem denominação definitiva, mas provavelmente ficará pelo termo jornalismo móvel, pelo menos é assim que melhor se identifica, apesar dos problemas de interpretação que essa expressão possa causar.

Jornalismo multimídia

Uma outra tendência do jornalismo é tornar-se cada vez mais multimídia no sentido de que uma mesma empresa (e muitas vezes os mesmos jornalistas) disponibilizem os seus produtos nas mais variadas mídias: Vídeo, rádio, webtexto, TV digital, texto impresso, DVD. Já não é novidade no mercado angolano alias é o principal objecto de trabalho da TPAONLINE.

O que constato é que praticamente todos as mídias em angola já começam a alinhar-se a seta visão estratégica e criaram os seus próprios websites com as manchetes ou os resumos das notícias. Os programas e as emissoras de TV como é o caso da T.P.A ONLINE e algumas estações de rádio em Angola que fazem dos seus sites parte ou a continuação de sua programação: Por exemplo: “Acesse www.tpa.live.

faceboock.tpa.ao/oficial  e assista a programaçãos da TPA ONLINE.

Para tratarmos do jornalismo nos blogs creio que o termo webjornalismo é o mais adequado por dar conta das características específicas do texto na Web, já que são essas características que diferenciam o jornalismo dos blogs das formas tradicionais de jornalismo.

Blog

Jorn Barger é o criador do termo bloguer , foi o editor do blogue original e concebeu o termo weblog.

Os blogs na verdade, são páginas da Web atualizadas constantemente com pequenos textos, chamados posts, organizados cronologicamente, sendo que alguns já contam com recursos mais avançados que permitem a busca de posts por palavra chave, tema ou dentre as principais evidências da personalização, podemos citar:

  • o uso da primeira pessoa nos textos;
  • o uso de fotografias para identificar a pessoa que escreve;
  • a assinatura do autor em todos os posts;
  • a existência de uma apresentação ou perfil do autor.O futuro do jornalismo está a ser encaminhado indubitavelmente pela Sociedade da Informação e pelo suporte electrónico.   Barger , Jorn. LEVY, Pierre. LEVY, Pierre.
  • 1999: Cibercultura.: São Paulo Editora
  • 1997: Cibercultura. São Paulo: Editora
  • 1999: Weblog resources FAQ. Robot Wisdom
  • Bibliografia
  •  
  • No entanto, o futuro da comunicação social, quer a convencional ou a electrónica depende também da sociedade, da preparação que esta recebe nas escolas, nas universidades, ou outros espaços de debate em que participem. Só um público que sabe escolher, decidir e criticar pode ajudar a construir a Comunicação Social do futuro.
  • Ao mesmo tempo em que os blogs são utilizados por cidadãos comuns como ferramentas de liberdade de expressão na web, grandes empresas passam a utilizar blogs para manter com seus leitores/consumidores/usuários a relação de cumplicidade e colaboração que só é permitida por meio desses sites.
  • TPA / Autora  :Sandra Mainsel
Share.

Deixar uma opinião

%d bloggers like this: