Orgia de peixes mexicanos pode deixar golfinhos surdos com ‘metralhadora do amor’

0

Novas técnicas acústicas para medir populações de peixes podem ser usadas para ajudar espécies ameaçadas de extinção, mas há uma espécie em particular que está sendo percebida de forma muito barulhenta enquanto põe em prática “jogos amorosos” em seu habitat aquático.

Pesquisadores afirmam que o barulho da desova das corvinas do golfo do México, espécie popular de peixes e indicada pela União Internacional para a Conservação da Natureza como vulneráveis e ameaçadas de extinção, assemelha-se a uma “metralhadora muito alta” capaz de prejudicar a audição ou até ensurdecer focas, leões-marinhos e golfinhos.

De acordo com o pesquisador da vida marinha da Universidade de San Diego, Timothy Rowell, quando centenas de milhares de peixes se reúnem para desovar uma vez por ano “o refrão coletivo soa como uma torcida em um estádio”.

“Esta desova pode ser considerada uma das mais barulhentas da vida selvagem no planeta Terra; trata-se do som mais alto já registrado de uma espécie de peixe”, acrescentou.

Em um estudo publicado pela revista Scientific Reports anteriormente neste ano, Rowell e seu colega da Universidade do Texas, Brad Erisman, que posicionou microfones debaixo d’água para ouvir a desova de corvinas, disse que a escuta dos “apelos amorosos” dos peixes pode ajudar os cientistas a manter o controle de seus números para preservação da espécie.

Eles também descobriram que quanto mais alto o som, maior é a densidade dos peixes.
“Zonas mais calmas tinham menos peixes e nas áreas barulhentas havia muitos peixes”, disse Rowell.

Fonte: Sputnik / EB

Share.

Sobre o autor

Eliseu Augusto Botelho é jornalista da Televisão Pública de Angola desde Dezembro e 1999. Foi editor do 1º Jornal e do Jornal Nacional, ambos na TPA2 e Coordenador do Jornal da Tarde e co-coordenador do Telejornal, ambos na TPA1. Já foi chefe de redacção do Centro de Produção da TPA em Caxito-Bengo. Actualmente exerce a função de jornalista na Direcção de Multimédia da TPA, cuja tarefa é gerir os conteúdos publicados nas várias páginas do facebook da estação e no seu site oficial. Tem o curso médio de Jornalismo do IMEL e várias formações em Angola e Portugal com professroes, Angolanos, Brasileiros e Portugueses. É licenciado em Relações Internacionais, pelo Instituto Superior de Relações Internacionais, afecto ao Ministério das Relações Exteriores da República de Angola.

Deixar uma resposta