OPEP+ elogia Angola pelo cumprimento dos cortes

0

A 20ª Reunião do Comité Conjunto de Monitorização Ministerial (JMMC) do grupo de exportadores de petróleo OPEP+ realizada por vídeo-conferência na quarta-feira, encorajou Angola, Gabão, Sudão do Sul e a República do Congo pelo cumprimento do plano de cortes e compensações traçado para o equilíbrio dos preços.

Os participantes concluíram que há “sinais encorajadores de melhoria, à medida que as economias ao redor do mundo se abrem” e que “embora possa haver restrições localizadas ou parciais reimpostas em alguns lugares, os sinais de recuperação são claros, tanto no mercado físico quanto no de futuros”.

O Comité observou que, passando para a próxima fase do contrato, o adicional extra resultante da flexibilização programada do corte de produção deverá ser consumido à medida que a procura se recuperar. Também, o Comité considerou que os aspectos sazonais ficaram acentuados este ano devido à pandemia.

Para muitos participantes da OPEP+ (Organização dos Países Exportadores de Petróleo e produtores não membros liderados pela Rússia), haverá um aumento na procura por serviços públicos, bem como mudanças nos padrões de viagens, aumentando igualmente a procura doméstica por gasolina e gasóleo, algo que deve provocar um impacto nas exportações da OPEP+ bem limitado.

Compensação de défice

A reunião, liderada pelos ministros da Energia da Arábia Saudita, Abdul Aziz Bin Salman, e da Federação Russa, Alexander Novak, reafirmou o compromisso dos países participantes de alcançarem a conformidade total e reparar qualquer défice nos planos de compensação apresentados ao Comité.

O Comité analisou os dados de produção de petróleo bruto para Junho passado e congratulou-se com o desempenho significativo no nível de conformidade geral dos países participantes da OPEP e associados, cujo cumprimento esteve em torno de 107 por cento, algo que a reunião de quarta-feira considera ser “uma conquista que encontrou amplo reconhecimento no mercado”.

De acordo com o Comité, “alcançar 100 por cento de conformidade de todos os países participantes não é apenas justo, mas vital para os esforços de reequilíbrio em andamento e para ajudar a proporcionar estabilidade no mercado de petróleo a longo prazo”. Os participantes concluíram que a remoção do crédito por excesso de conformidade resultou também, no mês de Junho, num nível de concordância de 95 por cento, o mais alto desde o início do cumprimento da “Declaração de Cooperação” (DoC), em Janeiro de 2017.

De referir que a 20ª Reunião do Comité reiterou a importância da “Declaração de Cooperação” no apoio à estabilidade do mercado de petróleo, assim como relembrou a decisão histórica tomada por todos os países participantes no DoC, na 10ª Reunião Ministerial extraordinária da OPEP e dos não OPEP, de 12 de Abril, de os países participantes ajustarem a produção global de petróleo para os limites previamente acordados.

De igual modo, o Comité recordou as decisões unânimes tomadas na 179ª Conferência da OPEP e 11ª Reunião Ministerial da OPEP e não OPEP, a 6 de Junho.  Os resultados das reuniões de Junho estenderam a primeira fase dos ajustes de produção até 31 deste mês e forneceram um mecanismo de compensação para os meses de Julho, Agosto e Setembro, para os países participantes que não foram capazes de alcançar a conformidade total em Maio e Junho.

O cronograma de remuneração acordado significará um nível efectivo de cortes mais profundo. Além disso, o Comité defendeu reuniões mensais do JMMC e do Comité Técnico Conjunto (JTC), para fortalecer a monitorização e ajudar a fornecer uma compreensão mais clara dos fundamentos do mercado.  Por outro lado, os participantes à vídeo-conferência analisaram o relatório mensal preparado por JTC e os desenvolvimentos no mercado global de petróleo desde a última reunião de 18 de Junho, tendo ponderado as perspectivas de mercado para o segundo semestre de 2020 e para 2021.

As próximas reuniões do JTC e do JMMC estão agendadas para 17 e 18 de Agosto de 2020, respectivamente, porém, os participantes apreciaram as contribuições voluntárias adicionais feitas, no mês de Junho, pela Arábia Saudita, Emirados Árabes Unidos e Kuwait.

Fonte: JA

Share.

Deixar uma opinião

%d bloggers like this: