Nova tecnologia de bateria pode manter a carga por dez anos

0

Não há nada mais irritante do que ficar sem bateria quando você mais precisa do celular. Mas, recentemente os cientistas de Harvard desenvolveram uma bateria que armazena energia em soluções líquidas, podendo ter uma vida útil de mais de uma década.
Além de ser supereficiente, esta bateria não é corrosiva ou tóxica. A nova bateria de fluxo foi desenvolvida por pesquisadores da Harvard da Escola de Engenharia e Ciências Aplicadas (SEAS). Ao armazenar energia em moléculas orgânicas dissolvidas em água com pH neutro, essas baterias poderiam manter sua capacidade por dez anos ou mais – o que significa que as baterias simples poderiam ser uma coisa do passado.

Esta bateria não corrosiva tem uma vida excepcionalmente longa e sua produção é barata. Ao contrário das baterias de lítio, os produtos químicos são seguros, o que significa que não há necessidade de adicionais caros, como bombas e tanques resistentes à corrosão. Atualmente as baterias de fluxo têm problemas de eficiência e se desgastam quando usadas frequentemente. No entanto, ao modificar a solução, os pesquisadores poderiam fazer uma bateria que só perde 1% de sua capacidade a cada 1.000 ciclos.

Para colocar isso em perspectiva, uma bateria de lítio-íon padrão pode durar apenas 1.000 ciclos em sua vida útil. “As baterias de íon de lítio nem sobrevivem a 1.000 ciclos completos de carga/descarga“, disse Michael Aziz, professor de Materiais e Tecnologias Energéticas da Universidade de Harvard. “Torna-se rentável colocar as baterias em tantos lugares. Esta pesquisa nos coloca um passo mais perto de alcançar esse objetivo”, disse Dr. Aziz.

A equipa está usando ferroceno solúvel em água, uma molécula ideal para armazenar a carga. “Os ferrocenos solúveis representam uma classe inteiramente nova de moléculas para baterias de fluxo“, disse Dr. Aziz.  Ao modificar as moléculas nos eletrólitos, os cientistas tornaram estas baterias de fluxo estáveis, solúveis em água e mais resistentes à degradação.  Como não é corrosiva, os vazamentos de bateria não causam os mesmos danos que as de lítio. Embora essas baterias já tenham sido desenvolvidas, atualmente não há planos para vendê-las comercialmente.

O Departamento de Energia (DOE) estabeleceu o objectivo de construir uma bateria que fosse competitiva com energia eólica e solar. “Este trabalho sobre os eletrólitos orgânicos solúveis em água é de grande significado ao apontar o caminho para futuras baterias com vida útil do ciclo vastamente melhorado e com custo consideravelmente menor“, disse Imre Gyuk, Director de Pesquisa de Armazenamento de Energia no Escritório de Eletricidade do DOE. Os pesquisadores estão actualmente tentando ampliar a tecnologia para aplicações industriais.

Fonte: Jornal Ciência / EB

Share.

Deixar uma opinião

%d bloggers like this: