Neymar pediu para voltar ao Barcelona: As seis razões para o “S.O.S.”

0

Avançado do PSG terá mesmo perguntado a responsáveis catalães o que poderia fazer para regressar a Camp Nou.

Estão lançados os alertas no Paris Saint-Germain. Neymar terá pedido a antigos companheiros, funcionários e até dirigentes do Barcelona para regressar a Camp Nou.

Quem o diz é o jornal espanhol Mundo Deportivo, que sublinha que o “S.O.S.” lançado pelo internacional brasileiro foi lançado antes da lesão que o poderá afastar do que resta da temporada e da eliminação europeia dos franceses, diante do Real Madrid.
A publicação aponta, inclusive, as seis razões para o desesperado pedido do avançado:
“Prefere um balneários sem clãs nem tensões, como o do Barcelona”;
“Equivocou-se ao tomar uma decisão que acreditava que o ia ajudar a crescer como jogador”;
“Obcecou-se erroneamente em buscar o seu próprio espaço longe de Leo Messi”;
“Deixou-se encantar pelo projeto e pela grande potência económica do PSG”;
“Não se apercebeu que o nível da Ligue 1 ia ser tão inferior ao da Liga espanhola”;
“Não esperava a dureza que encontrou nos terrenos de jogo franceses”.

O desespero de Neymar foi tal que o jogador terá mesmo perguntado, a responsáveis do Barcelona, o que poderia fazer para regressar à ‘casa’ onde alinhou entre 2013 e 2017.

TPA / EB

Share.

Sobre o autor

Eliseu Augusto Botelho é jornalista da Televisão Pública de Angola desde Dezembro e 1999. Foi editor do 1º Jornal e do Jornal Nacional, ambos na TPA2 e Coordenador do Jornal da Tarde e co-coordenador do Telejornal, ambos na TPA1. Já foi chefe de redacção do Centro de Produção da TPA em Caxito-Bengo. Actualmente exerce a função de jornalista na Direcção de Multimédia da TPA, cuja tarefa é gerir os conteúdos publicados nas várias páginas do facebook da estação e no seu site oficial. Tem o curso médio de Jornalismo do IMEL e várias formações em Angola e Portugal com professroes, Angolanos, Brasileiros e Portugueses. É licenciado em Relações Internacionais, pelo Instituto Superior de Relações Internacionais, afecto ao Ministério das Relações Exteriores da República de Angola.

Deixar uma resposta