Mosaico de lixo: Líbano transforma resíduos em obra de arte

0

No Líbano, um grupo de voluntários criou com resíduos do lixo um quadro em mosaico de um navio, e sua obra de arte entrou para o livro dos recordes.

As águas são “pintadas” usando garrafas de plástico e alumínio, o céu é feito de sacos e o navio é formado por resíduos de plástico e papelão.

O tamanho do quadro é tão grande que até mesmo entrou no Guinness World Record, o Livro dos Recordes. Com 700 m², superou o recorde prévio da Áustria: seu mosaico de lixo possui uma área de 455 m².

“Este quadro — é isso que todos os libaneses veem diariamente. Sim, há muito lixo em nosso país maravilhoso. Mas isto não é exclusivamente nosso problema. É a desgraça de todo o mundo”, declarou à Sputnik Árabe o autor da ideia, Wael Jaber.

“Podemos converter nossa desgraça em êxito. Por exemplo, conseguimos usar resíduos em arte”, adicionou.

“Batemos o recorde da Áustria que é famosa por sua luta pela pureza da natureza. Então, caminhamos na direção correta e podemos conseguir muito”, afirmou o criador.

Além disso, ele destacou que os preparativos para o projeto duraram sete meses, enquanto sua realização — menos de um mês.  A ajuda nesse assunto foi prestada pelos voluntários, várias organizações para a proteção do meio ambiente, e até mesmo pela chefe do governo e deputada Paula Yacoubian.

De acordo com a parlamentar, “até mesmo resíduos podem tornar-se um terreno fértil para a criatividade. É possível converter o lixo em bela arte, e a prova disso é este mosaico que entrou para o Livro Guinness”.

No Líbano, a questão com a utilização do lixo é uma das mais graves. Em 2015, uma onda de protestos atingiu o país, visto que as autoridades são incapazes de resolver o assunto.

Fonte: Sputnik / EB

Share.

Sobre o autor

Eliseu Augusto Botelho é jornalista da Televisão Pública de Angola desde Dezembro e 1999. Foi editor do 1º Jornal e do Jornal Nacional, ambos na TPA2 e Coordenador do Jornal da Tarde e co-coordenador do Telejornal, ambos na TPA1. Já foi chefe de redacção do Centro de Produção da TPA em Caxito-Bengo. Actualmente exerce a função de jornalista na Direcção de Multimédia da TPA, cuja tarefa é gerir os conteúdos publicados nas várias páginas do facebook da estação e no seu site oficial. Tem o curso médio de Jornalismo do IMEL e várias formações em Angola e Portugal com professroes, Angolanos, Brasileiros e Portugueses. É licenciado em Relações Internacionais, pelo Instituto Superior de Relações Internacionais, afecto ao Ministério das Relações Exteriores da República de Angola.

Deixar uma resposta