Subiu para dois o número de das vítimas mortais da explosão da caldeira

0

“Nas primeiras horas de ontem faleceu um paciente de nacionalidade angolana que em vida se chamava Filipe André”, disse o médico, sublinhando que todos deram entraram ao hospital em “estado grave, com queimaduras de segundo e terceiro graus”.
Sérgio Neto referiu que várias as equipas médicas trabalham permanentemente com os sinistrados. O médico explicou, igualmente, que os pacientes sofreram queimaduras graves por contacto e por inalação.

A segunda Vítima acabou por falecer esta segunda-feira

Vice-Presidente esteve no Girassol

O Vice-Presidente da República, Bornito de Sousa, acompanhado do ministro de Estado e Chefe da Casa de Segurança do Presidente da República, Pedro Sebastião, do governador de Luanda, Sérgio Luther Rescova, e o embaixador da China em Angola, Gong Tao, estiveram ontem na Clínica Girassol, a visitar as vítimas do acidente.
Bornito de Sousa viu os pacientes e ouviu as explicações do corpo clínico envolvido no tratamento das vítimas.
O embaixador Gong Tao agradeceu o apoio das autoridades angolanas às vítimas. O diplomata manifestou-se “muito triste” com o acidente e disse que a Embaixada está atenta para prestar todo o apoio e contribuição aos pacientes. “Faço votos que as melhorias cheguem rapidamente aos feridos”, disse o diplomata.

Responsável ferido

O director-geral da Nova Jiangsu, Carlos Gu, confirmou que o responsável da empresa, em Cabinda, também ficou gravemente ferido, porque estava no local a acompanhar os trabalhos. É a primeira vez que um acidente daquela dimensão acontece na empresa, desde 1999, que opera em Angola.
Carlos Gu explicou que os trabalhadores faziam testes do asfalto, na localidade do Chiaze, em Cabinda, quando se deu a explosão. De imediato, entrou em contacto com os familiares das vítimas em Angola e na China. A direcção da Clínica Girassol não cedeu à imprensa os nomes dos trabalhadores envolvidos no acidente, alegando questões éticas.
A acumulação de altas temperaturas e a insuficiência do diâmetro do furo para libertação do vapor quente do interior do forno para o exterior pode estar na base da explosão da caldeira de aquecimento de alcatrão, de tipo rudimentar.
A explosão ocorreu por volta das 16 horas de sábado, nas instalações da empresa, na localidade de Chiazi. As vítimas faziam testes do alcatrão para asfaltar as estradas.
O director adjunto, Pires Yin, disse à imprensa, em Cabinda, que a caldeira foi adquirida em Luanda, de uma “empresa credível”.
O comandante provincial do serviço de Protecção Civil e Bombeiros, Henrique Capita, disse que as investigações estão em curso para avaliar as reais causas da explosão.

Governador preocupado

O governador de Cabinda, Marcos Nhunga, visitou ontem, as instalações da empresa Nova Jiangsu, e constatou, no local, que não houve incêndio de grandes proporções, como alguns órgãos da comunicação social divulgaram.
Marco Nhunga manifestou-se preocupado com a situação e garantiu que está a acompanhar a evolução clínica dos doentes. Com 200 funcionários angolanos e mais de 100 chineses, a Nova Jiangsu trabalha ligada à construção civil.
*Com Joaquim Suami.

Fonte: JA com Tpa/BA

Share.

Deixar uma resposta