Matou jovem “porque parecia feliz”. Um crime que está a chocar a Itália

0

No dia 23 de fevereiro, um sábado, Stefano Leo, de 33 anos, saiu de sua casa em Turim a caminho do trabalho numa loja de roupa, com os auriculares nos ouvidos.

Sem que nada o fizesse prever, acabou apunhalado no pescoço. Já ferido, ainda se tentou arrastar do local, mas acabou por morrer.

Esta semana o caso ganha novo destaque. Tudo porque o autor do crime, Said Mechaout, um italiano de origem marroquina, de 27 anos de idade, revelou o que o fez agir assim. “Escolhi matar esse jovem porque parecia feliz e não suporto a felicidade”, cita a imprensa local da confissão de Said às autoridades.

A macabra morte com novos detalhes da investigação, avançados pelo próprio suspeito. Said terá estado cerca de 40 minutos numa praça a ver pessoas. Estaria a escolher a vítima. Viu mães com os filhos e reformados a passear cães. Depois reparou em Stefano, que ao passar por ele parecia ter um ar “sereno”. E atacou-o.

Segundo a imprensa local, Said Mechaout teria antecedentes por violência doméstica e terá também sido referenciado por sintomas depressivos, mas nunca chegou a ser acompanhado por nenhuma questão de foro psiquiátrico.

O próprio revelou ainda que ponderou matar um outro jovem que estava a passear um cão, com quem terá tido uma discussão. Mas acabou por não o fazer porque havia várias pessoas na zona. A praça que escolhera e onde esperou até encontrar a vitima que procurava teria sido já escolhida por ser relativamente fácil fugir.

“Quis matar um rapaz como eu, para lhe roubar os projetos todos, dos filhos, de amigos e familiares”, afirmou à polícia sem poupar detalhes do crime que cometeu e com uma frieza que impressionou os próprios agentes.

Fonte: N. Minutos/LD

Share.

Sobre o autor

Avatar

Eliseu Augusto Botelho é jornalista da Televisão Pública de Angola desde Dezembro e 1999. Foi editor do 1º Jornal e do Jornal Nacional, ambos na TPA2 e Coordenador do Jornal da Tarde e co-coordenador do Telejornal, ambos na TPA1. Já foi chefe de redacção do Centro de Produção da TPA em Caxito-Bengo. Actualmente exerce a função de jornalista na Direcção de Multimédia da TPA, cuja tarefa é gerir os conteúdos publicados nas várias páginas do facebook da estação e no seu site oficial. Tem o curso médio de Jornalismo do IMEL e várias formações em Angola e Portugal com professroes, Angolanos, Brasileiros e Portugueses. É licenciado em Relações Internacionais, pelo Instituto Superior de Relações Internacionais, afecto ao Ministério das Relações Exteriores da República de Angola.

Deixar uma resposta