Marcha mortífera: viúvas-negras estão se apoderando do Canadá e não há como impedi-las

0

O habitat das criaturas potencialmente letais já se estendeu por mais de 48 quilómetros nos últimos doze anos e aparentemente nada pode ser feito para contê-las.

Segundo um estudo publicado no jornal PLOS One, as peçonhentas viúvas-negras estão avançando e povoando mais densamente algumas regiões do Canadá, sendo que tal migração está ocorrendo aparentemente devido ao clima quente.

A viúva-negra possui um veneno extremamente poderoso, causando dores musculares, náuseas e até mesmo paralisias diafragmáticas, podendo levar à morte.

A presença de viúvas-negras nas áreas mais ao norte vem aumentando constantemente nas últimas cinco décadas, e o habitat da aranha se expandiu por mais de 48 quilómetros, visto que a superfície terrestre está se tornando cada vez mais quente, proporcionando, assim, condições necessárias para as aranhas se reproduzirem, como afirmado no estudo realizado pelos cientistas da Universidade McGill.

A gama de aranhas mais ao norte, agora ocupam as vastas paisagens canadenses, enquanto que também foram avistadas vindo de áreas próximas a Wisconsin, zonas que nunca foram anteriormente habitadas por viúvas-negras.

“As pessoas que estão animadas com a descoberta de onde vivem as espécies podem contribuir de maneira significativa para o progresso científico e isso é excitante, importante e está mudando a forma como pesquisamos”, afirmou Christopher Buddle, professor e co-autor do artigo científico.

Fonte: Sputnik / EB

Share.

Sobre o autor

Eliseu Augusto Botelho é jornalista da Televisão Pública de Angola desde Dezembro e 1999. Foi editor do 1º Jornal e do Jornal Nacional, ambos na TPA2 e Coordenador do Jornal da Tarde e co-coordenador do Telejornal, ambos na TPA1. Já foi chefe de redacção do Centro de Produção da TPA em Caxito-Bengo. Actualmente exerce a função de jornalista na Direcção de Multimédia da TPA, cuja tarefa é gerir os conteúdos publicados nas várias páginas do facebook da estação e no seu site oficial. Tem o curso médio de Jornalismo do IMEL e várias formações em Angola e Portugal com professroes, Angolanos, Brasileiros e Portugueses. É licenciado em Relações Internacionais, pelo Instituto Superior de Relações Internacionais, afecto ao Ministério das Relações Exteriores da República de Angola.

Deixar uma resposta