Inventor da internet preocupado com “notícias falsas” e abusos políticos

0

Num texto divulgado este domingo, o britânico considera que, em geral, a ‘world wide web’ tem-se mantido como a imaginou, uma “plataforma aberta que permitisse a todos, em qualquer parte, partilhar informações, ter acesso a oportunidades e colaborar para além de fronteiras geográficas e culturais”.

Porém, no último ano, identificou três tendências preocupantes, nomeadamente a forma como os utilizadores perderam o controlo dos seus dados pessoais devido à necessidade de se registarem para terem acesso a conteúdo e serviços gratuitos.

Além da partilha com outras empresas sem a consulta das pessoas, Berners-Lee considera que os governos estão também cada vez mais interessados nesta informação, não só em países com regimes repressivos, mas também em estados democráticos.

“Observar toda a gente o tempo inteiro é simplesmente ir longe demais, afirma, num texto publicado pela Fundação Web para coincidir com o aniversário da Internet, onde também alerta para o crescente impacto negativo das “notícias falsas”.

O cientista afirma que há um excesso de desinformação na Internet por causa da forma como as pessoas leem notícias através de motores de busca ou redes sociais, que ganham dinheiro graças ao número de cliques, usando algoritmos e outras ferramentas para atrair tráfego.

“Através do uso da ciência de dados e de exércitos de ‘bots’ [aplicação que permite simular ações humanas], aqueles que têm más intenções podem manipular o sistema para espalhar a desinformação para proveito financeiro ou político”, lamenta no mesmo texto.

Este problema é visível na forma como a propaganda política se transformou numa “indústria sofisticada” porque a maioria das pessoas recebe a sua informação a partir de apenas algumas fontes e devido à crescente sofisticação de algoritmos que acedem a um grande número de dados pessoais.

“As campanhas políticas estão agora a criar anúncios individuais direcionados diretamente aos utilizadores”, enfatizou, referindo notícias de que nas presidenciais dos EUA de 2016 circulavam diariamente no Facebook até 50 mil variações de anúncios.

Berners-Lee acredita que a democracia pode estar em causa por causa do abuso destas práticas e de notícias falsas na política, apelando ao trabalho conjunto das empresas tecnológicas.

“Precisamos de mais transparência algorítmica para entender como decisões importantes que afetam nossas vidas estão a ser feitas, e talvez um conjunto de princípios comuns a serem seguidos”, reivindicou.

Fonte: N. Minutos

Share.

Deixar uma opinião

%d bloggers like this: