Golo de Haidara retira Palancas do CAN2019

0

A precisar apenas de um empate, a selecção nacional de futebol foi incapaz de se impor perante o Mali, com quem perdeu por 0-1, deitando por terra o ‘sonho’ do apuramento aos oitavos-de-final do CAN2019, que decorre no Egipto.

Haidara, aos 36 minutos, apontou o golo que sentenciou o encontro, para desespero dos angolanos, que esperavam fazer melhor ou igual aos quartos-de-final das edições de 2008, no Ghana, e 2010, no país.

Os Palancas Negras até começaram bem a partida, com três oportunidades claras de golo. Logo aos três minutos, Gelson Dala poderia dar vantagem a Angola, quando frente a frente com o guarda-redes maliano atirou para a defesa deste.

No minuto a seguir foi a vez do capitão Mateus Galiano que, depois de tirar um defesa do caminho, já dentro da área, rematou contra um contrário e a bola perdeu-se pela linha do fundo.

Aos cinco minutos, o médio Geraldo, que entrou de início em detrimento de Show, rematou à meia-distância para uma defesa apertada de Djigui Diarra.

Nessa altura, a selecção dominava o desafio, com blocos altos, querendo mostrar que não veio para a partida com intenção de empatar, resultado que já dava garantias de acesso à próxima fase.

Os malianos, que entraram para o rectângulo de jogo sem sete titulares, talvez pela sua condição de já apurados, começaram a equilibrar o encontro no minuto 16, quando Doumbia, à entrada da área, rematou forte, mas o guarda-redes Toni Cabaça esteve atento e atirou para canto.

Um minuto depois, Sacko voltou a colocar à prova o guardião angolano, que fez uma defesa apertada, na sequência do pontapé de canto.

Esse crescer do adversário fez tremer os angolanos, que foram fazendo faltas sucessivas, obrigando o árbitro marroquino Rédouane Jiyed admoestar Bruno Gaspar com amarelo, aos 28 minutos.

Aos 31 minutos Coulibaly cabeceou com grande perigo, na área.

As Águias acabaram mesmo por chegar ao golo, aos 36 minutos, numa altura que a defesa vacilou e Haidara rematou de média distância, sem dar hipóteses para Toni Cabaça.

Até ao intervalo, nada mais de realce aconteceu.

No reatamento, quando se esperava por uma postura mais actuante, os Palancas Negras entraram sem garra, sem fazer grandes jogadas que levassem perigo à baliza contrária.

Quase nada aconteceu nesta segunda etapa do jogo, com os futebolistas nacionais sem capacidade para dar à volta ao resultado, mesmo com as entradas de Show, Wilson Eduardo e Mabululo.

Com este resultado e em função do empate a zero entre a Tunísia e a Mauritânia, o Mali qualifica-se com sete pontos, e os tunisinos com 3. Angola e Mauritânia ficam afastados da fase seguinte.

Fonte: Angop/LD

Share.

Sobre o autor

Avatar

Eliseu Augusto Botelho é jornalista da Televisão Pública de Angola desde Dezembro e 1999. Foi editor do 1º Jornal e do Jornal Nacional, ambos na TPA2 e Coordenador do Jornal da Tarde e co-coordenador do Telejornal, ambos na TPA1. Já foi chefe de redacção do Centro de Produção da TPA em Caxito-Bengo. Actualmente exerce a função de jornalista na Direcção de Multimédia da TPA, cuja tarefa é gerir os conteúdos publicados nas várias páginas do facebook da estação e no seu site oficial. Tem o curso médio de Jornalismo do IMEL e várias formações em Angola e Portugal com professroes, Angolanos, Brasileiros e Portugueses. É licenciado em Relações Internacionais, pelo Instituto Superior de Relações Internacionais, afecto ao Ministério das Relações Exteriores da República de Angola.

Deixar uma resposta