FAF lamenta falta de sorte dos Palancas Negras

0

O vice-presidente da Federação Angolana de Futebol (FAF), Adão Costa, disse esta terca-feira, em Ismailia, que a falta de sorte e de concretização contribuíram significativamente na derrota da selecção nacional diante da similar maliana, por 0-1, no jogo da terceira jornada do grupo E do Campeonato Africano das Nações (CAN2019), que decorre no Egipto.

Ao avaliar o desempenho dos Palancas Negras após o desafio, disputado no estádio de Ismailia, o dirigente federativo referiu à Angop, que, apesar da grande capacidade do adversário, os jogadores foram bastante perdulários, que lhes impossibilitou de obter um resultado positivo, como era esperado pelos angolanos.

“A selecção enfrentou uma equipa competitivamente muito bem dotada, que lhe obrigou a trabalhar bastante na procura do êxito, que não foi concretizado. Faltou um pouco de sorte, na medida em que até tiveram muitas oportunidades, que deviam resultar em golo. Quando assim, acontece só nos podemos queixar de nos próprios. Por isso, devemos levantar a cabeça e trabalhar mais para os próximos compromissos”, frisou.

Acrescentou que a FAF, apesar das dificuldades, tudo fez no sentido de proporcionar ao combinado nacional as condições necessárias para a participação condigna na prova continental.

Fonte: Angop/LD

Share.

Sobre o autor

Avatar

Eliseu Augusto Botelho é jornalista da Televisão Pública de Angola desde Dezembro e 1999. Foi editor do 1º Jornal e do Jornal Nacional, ambos na TPA2 e Coordenador do Jornal da Tarde e co-coordenador do Telejornal, ambos na TPA1. Já foi chefe de redacção do Centro de Produção da TPA em Caxito-Bengo. Actualmente exerce a função de jornalista na Direcção de Multimédia da TPA, cuja tarefa é gerir os conteúdos publicados nas várias páginas do facebook da estação e no seu site oficial. Tem o curso médio de Jornalismo do IMEL e várias formações em Angola e Portugal com professroes, Angolanos, Brasileiros e Portugueses. É licenciado em Relações Internacionais, pelo Instituto Superior de Relações Internacionais, afecto ao Ministério das Relações Exteriores da República de Angola.

Deixar uma resposta