Ethiopian Airlines vai continuar a trabalhar com a Boeing

0

A Ethiopian Airlines ainda depende da Boeing e está comprometida em trabalhar com o fabricante para tornar o transporte aéreo ainda mais seguro, escreveu o presidente da companhia, Tewolde GebreMariam.

Em resposta, “Nós respeitamos os mais altos padrões de segurança, excelência e integridade em nosso trabalho porque as apostas não podem ser maiores”, disse Muilenburg, concordando com GebreMariam.

O presidente da Boeing, Dennis Muilenburg, disse na terça-feira que a sua empresa foi “atingida” pelo desastre da Ethiopian Airlines que matou 157 pessoas em 10 de Março, dizendo “aprender” com a tragédia, noticiou à Xinhua.

Em resposta, o presidente da Boeing, Dennis Muilenburg disse que a sua companhia usa todos os recursos necessários para cooperar com os etíopes para “entender o que aconteceu e fazer tudo para que o mesmo não volte a acontecer.

“Nós respeitamos os mais altos padrões de segurança, excelência e integridade em nosso trabalho porque as apostas não podem ser maiores”, disse Muilenburg, concordando com GebreMariam.

Desde a queda do avião da Ethiopian Airlines 737 MAX 8 perto de Addis Ababa, a Boeing foi exaustivamente investigado por reguladores dos EUA.

Aquele foi o segundo desastre mortal que envolveu esse modelo em cinco meses.

Em Outubro passado, o voo 610 da companhia aérea da Indonésia Lion Air caiu, matando 189 pessoas.

Por causa dos acidentes da Etiópia e da Indonésia, muitos países e companhias aéreas decidiram manter no solo todos os modelos 737 MAX.

Fonte: Angop/LD

Share.

Sobre o autor

Avatar

Eliseu Augusto Botelho é jornalista da Televisão Pública de Angola desde Dezembro e 1999. Foi editor do 1º Jornal e do Jornal Nacional, ambos na TPA2 e Coordenador do Jornal da Tarde e co-coordenador do Telejornal, ambos na TPA1. Já foi chefe de redacção do Centro de Produção da TPA em Caxito-Bengo. Actualmente exerce a função de jornalista na Direcção de Multimédia da TPA, cuja tarefa é gerir os conteúdos publicados nas várias páginas do facebook da estação e no seu site oficial. Tem o curso médio de Jornalismo do IMEL e várias formações em Angola e Portugal com professroes, Angolanos, Brasileiros e Portugueses. É licenciado em Relações Internacionais, pelo Instituto Superior de Relações Internacionais, afecto ao Ministério das Relações Exteriores da República de Angola.

Deixar uma resposta