Escassez de verbas inviabiliza conclusão de infra-estruturas em Cacuso

0

 

Cinco escolas do ensino primário e igual número de postos médicos e de residências para quadros ficaram por se concluir este ano, no município de Cacuso, em função da dotação orçamental limitada que recebeu do Orçamento Geral do Estado (OGE) 2018, segundo o administrador municipal, Caetano da Rita Tinta.

Em entrevista à Angop, por ocasião da cerimónia de cumprimento de fim de ano ao governador provincial, Norberto dos Santos, o administrador disse tratar-se de obras das comunas do Quizenga, Pungo-ANdongo, Lombe, Soqueco e a Sede municipal.

Fruto disso, afirmou, as referidas obras terão de transitar para o OGE/2019, cujo valor não revelado será superior à deste ano.

Como forma de se evitar atrasos nas obras nos próximos tempos, Caetano Tinta disse que a administração municipal de Cacuso vai optar por finalizar as obras inacabadas, antes de perspectivar outras, tendo apontado, por outro lado, o apoio às famílias como o foco das acções da administração para o ano de 2019, com vista a melhoria das suas condições sociais.

Por sua vez, o administrador municipal de Malanje, João de Assunção, lembrou que o lixo tem sido um dos grandes males da cidade, pelo que em 2019 será reforçada a capacidade de recolha dos focos de lixo, por meio do aumento do número de auxiliares de limpeza, para além da retoma do projecto “Cimento e Tinta”, que visa a pintura das fachadas dos edifícios da cidade.

O director do Gabinete Provincial para o Desenvolvimento Económico e Integrado, Jacinto Caculo, olha para a melhoria do ambiente de negócios como ponto central do sector que dirige para o próximo ano, tendo em conta a necessidade de se potenciar o sector empresarial privado.

Nesta perspectiva, entende ser fundamental se incrementar a comunicação com o empresariado e discutir o melhor aproveitamento dos instrumentos que o Governo tem criado para apoiar a referida classe, como o acesso ao crédito bonificado e isenções de impostos, evitando-se que as iniciativas empresariais “morram à nascença” e exclusão de alguns empreendedores.

Entretanto, o Arcebispo Metropolitano de Malanje, Dom Benedito Roberto, reafirmou o apoio da igreja nas acções do Governo, para melhoria das condições de vida da população. Porém, indicou a auscultação dos pontos de vistas das comunidades e o espírito de colaboração como sendo os aspectos a se ter em conta, para que a província atinja o progresso social.

A cerimónia de cumprimento de fim de ano foi antecedida por uma mensagem proferida pelo governador provincial, Norberto dos Santos “Kwata Kanawa”, tendo na ocasião destacado a conclusão das obras de reabilitação da estrada nacional 230, no percurso de Malanje, como uma das principais acções executadas este ano, que aliada ao Caminho-de-Ferro de Luanda, concorre para a garantia da livre circulação de pessoas e bens e melhoria das trocas comerciais, rumo ao bem-estar dos cidadãos.

O lançamento de centenas de quadros superiores ao mercado de trabalho, em 2018, entre os quais médicos, contribuiu no crescimento da província.

Norberto dos Santos destacou acções que não foram concluídas por factores de vária ordem, incluindo financeira, referindo que algumas como o incentivo as famílias para o desenvolvimento da agricultura e aumento da produção, a electrificação dos municípios, sobretudo em Cacuso, Malanje, Calandula e Cangandala, emprego para a juventude, entre outros vão transitar para 2019.

Estiveram presentes na cerimónia de cumprimentos de fim de ano directores de gabinetes provinciais, administradores municipais, magistrados judiciais, líderes religiosos e outras individualidades.

Fonte: Angop/LD

Share.

Deixar uma opinião

%d bloggers like this: