EPAL efectua campanha de cobrança e corte no Zango

0

Uma campanha de sensibilização, cobrança e corte, na área do Zango, município de Viana, está a ser realizada pela Empresa de Água de Luanda (EPAL).

De acordo com o porta-voz da instituição, Waldemir Bernardo , a campanha que decorre deste o mês de Março vai concluir no condomínio Vila Pacífica.

Informou que a campanha é uma forma de criar uma aproximação entre a empresa e os clientes e evitar o desperdício de água.

Pontualizou que técnicos da EPAL têm verificado que no Zango existem muitas residências com torneiras avariadas e os proprietários não têm o cuidado de as substituir fazendo com que haja ruas alagadas mesmo quando não há chuva.

A campanha, continuou, tem também uma vertente pedagógica no sentido de se racionalizar o consumo de água.

Indicou que a campanha, que vai abranger todos os municípios de Luanda, iniciou na zona do Zango porque lá existe uma grande concentração de devedores.

Deu a conhecer que a divida dos clientes ronda aos 65 mil milhões de kwanzas, boa parte da qual de consumidores do seguimento doméstico

Informou que na área do Kilamba cerca de 70 porcento dos clientes não faz o pagamento da água.

Indicou que os municípios com maior número de devedores são Luanda, Viana e Cazenga.

Fonte: Angop/LD

Share.

Sobre o autor

Avatar

Eliseu Augusto Botelho é jornalista da Televisão Pública de Angola desde Dezembro e 1999. Foi editor do 1º Jornal e do Jornal Nacional, ambos na TPA2 e Coordenador do Jornal da Tarde e co-coordenador do Telejornal, ambos na TPA1. Já foi chefe de redacção do Centro de Produção da TPA em Caxito-Bengo. Actualmente exerce a função de jornalista na Direcção de Multimédia da TPA, cuja tarefa é gerir os conteúdos publicados nas várias páginas do facebook da estação e no seu site oficial. Tem o curso médio de Jornalismo do IMEL e várias formações em Angola e Portugal com professroes, Angolanos, Brasileiros e Portugueses. É licenciado em Relações Internacionais, pelo Instituto Superior de Relações Internacionais, afecto ao Ministério das Relações Exteriores da República de Angola.

Deixar uma resposta