Embaixadora britânica destaca visita do príncipe Harry

0

A embaixadora britânica em Angola, Jessica Hand, elege a contribuição da desminagem para a prosperidade e a segurança públicas como um dos ângulos centrais da visita que o príncipe inglês Harry inicia esta quinta-feira em Angola.

Num artigo publicado na edição desta quinta-feira no Jornal de Angola, a chefe da missão diplomática britânica destaca, também, a protecção ambiental e o desenvolvimento do ecoturismo como outro foco da visita do príncipe Harry, de seu nome completo Henry Charles Albert David.

O príncipe Harry desembarca ao final da tarde desta quinta-feira no município de Dirico, província do Cuando Cubango, onde pernoita e, no dia seguinte, visita a área dos trabalhos de desminagem desenvolvidos pela instituição britânica Halo Trust.

No mesmo dia, o visitante, que segue os passos da sua mãe, a princesa Diana, que visitou Angola em 1997, passa pelo Huambo, antes de seguir para Luanda, onde, sábado, será recebido pelo Presidente da República e a Primeira-Dama de Angola.

“A primeira visita oficial de Sua Alteza Real o Duque de Sussex a Angola acontece numa altura em que as relações entre o Reino Unido e Angola estão a desenvolver-se numa parceria ampla e profunda”, escreve a embaixadora do Reino Unido da Grã- Bretanha e Irlanda do Norte.

Depois de sublinhar que essa parceria está baseada na “confiança e no respeito mútuos”, Jessica Hand anuncia que “o Reino Unido pretende apoiar o processo de reforma de Angola e com ele a sua ascensão à prosperidade sustentável”.

“Existe ainda um longo caminho a percorrer, mas potencialmente muito mais a ganhar para ambas as nações”, sublinha.

No seu artigo, a embaixadora Jessica Hand anuncia que Sua Alteza Real o Duque de Sussex avaliará, também, o progresso que Angola está a fazer para alcançar o seu compromisso sobre o Tratado de Proibição de Minas de se tornar um território livre de minas terrestres, até 2025.

 Ainda segundo a embaixadora britânica, o príncipe Harry deverá aproveitar a oportunidade para “incentivar” Angola a solicitar formalmente a sua adesão à Commonwealth, organização de cuja juventude é embaixador.

Fonte: ANGOP/BA

Share.

Deixar uma resposta