Embaixada da França apoia realização do Festi-Kongo/2018

0

A embaixada da República da França em Angola se propõe a apoiar, financeiramente, a realização em Novembro deste ano, do 1º festival regional denominado “Festi-Kongo”, a decorrer na cidade de Mbanza Kongo, capital da província do Zaire.

O facto foi revelado sábado, à Angop, pelo director do gabinete provincial da Cultura, Juventude e Desportos, Biluka Nsakala Nsenga, frisando que a intenção foi manifestada num encontro recente, em que participou, realizado na embaixada gaulesa, em Luanda.

“A embaixada Francesa em Angola está decidida em apoiar o centro histórico de Mbanza Kongo, na promoção, valorização e preservação deste património mundial, pelo que temos mantido reuniões regulares, em Luanda, onde temos tratado vários pontos para o efeito”, vincou a fonte.

O responsável lembrou que o Festi-Kongo é uma das recomendações da UNESCO, aquando da inscrição do sítio histórico de Mbanza Kongo na lista do património mundial, ocorrida a 08 de Julho de 2017 na cidade de Cracóvia, Polónia.

Avançou que, para além de caravanas artísticas nacionais e locais, o evento contará também com a participação de outras oriundas dos dois Congos (Kinshasa e Brazzaville) e do Gabão, regiões que integravam o antigo Reino do Congo, que tinha como capital Mbanza Kongo.

Enumerou como actividades que serão desenvolvidas, durante o certame, espectáculos musicais, exibição de peças teatrais, exposições de artesanatos, culinária tradicional, entre outras manifestações artísticas.

Para além disso, segundo ainda Biluka Nsakala Nsenga, a embaixada Francesa, através do seu fundo direccionado para as actividades culturais, espera também patrocinar trabalhos que visam proteger o edifício do Museu dos Reis do Kongo contra a humidade e infiltração de água das chuvas.

Precisou ainda que, este apoio deverá ser extensivo aos projectos de formação de agentes culturais no domínio da gestão, num seminário a decorrer de 11 a 15 de Setembro deste ano, em Mbanza Kongo, a ser orientado por dois prelectores de nacionalidades francesa e brasileira.

“Estes dois especialistas virão formar os promotores culturais ou de eventos artísticos locais, num seminário a decorrer no salão multi-uso do Museu dos Reis do Kongo”, adiantou o interlocutor, que disse terem sido inscritos já um número considerável de candidatos.

O centro histórico de Mbanza Kongo foi elevado a categoria de património mundial no âmbito do projecto “Mbanza Kongo, Cidade a Desenterrar para Preservar”, lançado em 2007, nesta cidade, durante uma Mesa Redonda Internacional.

Antes disso, este sítio havia sido classificado como património cultural nacional, a 10 de Junho de 2013, por decreto Executivo.

Desde a fundação do reino do Kongo no século XIII, a cidade de Mbanza Kongo foi a sua capital, o centro político, económico, social e cultural, sede do rei e a sua corte, e como tal o centro das decisões.

Fonte: Angop / EB

Share.

Deixar uma opinião

%d bloggers like this: