Elefantes destroem lavras de 58 famílias

0

Lavras, pertencentes a 58 famílias, foram devastadas por elefantes, na comuna de Cambondo, no município do Golungo-Alto, a 56 quilómetros da cidade de Ndalatando.

Na procura de água e alimentos, os elefantes estão a abandonar o seu habitat e, como consequência, aonde passam devoram tudo o que encontram. Para contrapor esta situação, técnicos do Ministério do Ambiente deslocaram-se às zonas visadas e estão a colocar colmeias artificiais para que as abelhas afugentem os elefantes.

Segundo os técnicos, o único animal que os elefantes temem são as abelhas, por isso decidiram colocar 35 colmeias para livrar a zona dos gigantes mamíferos.
Para o director do Gabinete Provincial do Ambiente, Ilson António, a escassez da água dos rios intermitentes, sobretudo nesta época seca, agudiza o conflito entre os elefantes e o homem na procura deste bem, pelo que tudo se torna mais complicado.
O responsável disse que, no Cuanza-Norte, os elefantes estão, igualmente, a destruir as lavras nos municípios de Ngonguembo, Ambaca, Bolongongo e Kikulungo, onde a breve trecho o projecto de colocação de colmeias será também uma realidade. “Para além da colocação das colmeias, com o intuito de afugentar elefantes, também se obtém mel para o consumo das populações, assim como um produto de protecção labial e cera para o fabrico de velas e outros fins”, adiantou.
O governador provincial do Cuanza-Norte, Adriano Mendes de Carvalho, foi ver de perto os campos devastados pelos animais e mostrou-se preocupado com o que viu, tendo enaltecido o projecto que está a ser implementado pelo Ministério do Ambiente, que visa a colocação de colmeias artificiais e, consequentemente, o afastamento dos elefantes das zonas de cultivo.

Fonte: JA/BA

Share.

Deixar uma opinião

%d bloggers like this: