Distrito do Rangel necessita de pelo menos sete mil carteiras

0

O distrito urbano do Rangel, em Luanda, necessita para este ano lectivo de pelo menos sete mil e 500 carteiras, para conferir melhor dignidade aos alunos que ingressam pela primeira vez e os de transição.

Para atenuar o problema, as direcções das escolas do distrito do Rangel contam com a colaboração das comissões de encarregados de educação para recuperar as carteiras estragadas, para evitar constrangimento no arranque do ano lectivo.

Em declarações à imprensa, o administrador do Rangel, Francisco Manuel Domingos, referiu que para o ano lectivo 2019, seis mil 123 alunos serão matriculados para as classes de iniciação, primeira, sétima e décima, menos 52 vagas em relação ao ano lectivo anterior.

Deste número, mil 168 alunos serão para a iniciação, mil e 93 para a primeira classe, dois mil 591 para a sétima e mil 271 para a décima classe, distribuídos pelas 35 escolas de ciclos diversos controlados pela repartição distrital da educação.

Francisco Manuel Domingos reconheceu que o distrito precisa de 100 novos professores para o ensino primário, 80 para o primeiro ciclo e 30 para o II ciclo, bem como de 123 outros trabalhadores para minimizar a carência nos estabelecimentos de ensino.

No que diz respeito as infra-estruturas, o Rangel necessita de reabilitar e apetrechar oito escolas, principalmente os lavabos, os tectos das salas de aulas e os pavimentos, situação que poderá ser resolvida rapidamente para não colocar em causa o funcionamento das aulas.

O administrador lamentou o facto de o distrito não ter capacidade de resposta para acolher todas as crianças em idade escolar, devido ao reduzido número de vagas disponíveis, porquanto a localidade não conta com novos estabelecimentos de ensino para o presente ano lectivo.

“ O Rangel não tem espaços para edificação de novas escolas, para corresponder a procura dos munícipes, facto que obriga muitas vezes os pais a procurarem em outros pontos da cidade de Luanda escolas para os filhos”, lamentou.

A circunscrição tem um território estimado em 6,2 quilómetros quadrados e mais de 261 mil habitantes, distribuído pelos bairros do Rangel, Marçal e Terra Nova (sede distrital).

O distrito é limitado a Oeste pelo distrito da Ingombota, a Norte pelo Sambizanga, a Este o município do Cazenga e a Sul pelo distrito da Maianga e do Neves Bendinha.

Fonte: Angop/LD

Share.

Deixar uma opinião

%d bloggers like this: