Diplomata destaca importância de imprensa forte em democracias

0

A embaixadora dos Estados Unidos de América (EUA) em Angola, Nina Fite, afirmou esta terça-feira, em Luanda, que para qualquer democracia no mundo é essencial que haja uma imprensa forte e imparcial. A diplomata falava durante o encerramento do workshop sobre “Práticas do Jornalismo Online e o uso das Novas Tecnologias de Informação” dirigido a jornalistas de diversos órgãos de comunicação social.

Uma iniciativa da Embaixada dos Estados Unidos em parceria com a Voz da América (VOA).

É a Primeira formação de várias que serão realizadas em algumas províncias do país.

Segundo a Embaixadora dos Estados Unidos em Angola, Nina Maria Fite, os jornalistas desempenham um papel preponderante na construção de países democráticos e justo onde todos os cidadãos pensam ter voz.

“Para qualquer democracia no mundo, é essencial que haja uma imprensa livre, forte e imparcial. Uma imprensa que funcione como guardiã e que exija responsabilidade do estado e do privado”. Sublinhou

Para si, a era das fake news está a dominar a sociedade, por meio de pessoas com más intenções que destroem a reputação e a vida de muita gente, com informações falsas, por isso, cabe aos jornalistas desempenharem um papel importante em aferir e verificar os factos, a fim de informar o público e a anular a disseminação das fake news.

 

Por seu turno, Freud Domingos, um dos participantes do seminário, considerou o encontro positivo, por ter aprendido novas formas e estratégias de comunicar, principalmente por via do jornalismo online.

Teixeira Cândido o secretário-geral do Sindicato dos Jornalistas Angolano,   que foi um dos formadores, realçou que no encontro foram abordado temas como qual o posicionamento da média, para ser capaz de esclarecer certos fenómenos.

“É uma reflexão que visa saber como nos posicionar numa altura quase em que as redes sociais quase que vão substituindo a média convencional. O que nós entendemos é que a média num período como este, tem o papel de esclarecer é este é o papel que compete a média tradicional”. Disse.


Mayra Lassalette, Editora da Voz da América referiu que os resultados do certame foram fantásticos, os jornalistas em dois dias mostraram que aprenderam mostraram-se bastante críticos em muitos dos temas que dominaram o workshop.
Com este evento os jornalistas participante aumentaram conhecimentos em matérias como eleições e democracia, próximas eleições locais angolanas e seu contexto, ambiente digital de Angola, jornalismo no mundo digital, recursos digitais para cobertura de noticias dentre outros temas.

TPA/BA

 

 

Share.

Deixar uma opinião

%d bloggers like this: