Diamantes rendem ao país 601 milhões de dólares em seis meses

0

O país arrecadou no primeiro semestre do ano em curso receitas estimadas em 601,4 milhões de dólares com a comercialização de 4,1 milhões de quilates anunciou hoje, a Empresa Nacional de Comercialização de Diamantes de Angola (SODIAM).

Segundo dados da SODIAM, o volume de diamantes comercializado no primeiro semestre de 2019 representou uma redução de 4,2 por cento em comparação ao igual semestre de 2018 e um incremento da receita de 3,9 por cento em relação ao similar período no ano anterior.

Angola produz anualmente cerca de nove milhões de quilates de diamantes e as autoridades pretendem a alargar a produção anual para 14 milhões.

Hoje, a Empresa Nacional de Comercialização de Diamantes de Angola (SODIAM), apresentou a imprensa o balanço da comercialização de diamantes referente ao terceiro trimestre deste ano que aponta para venda de 1,5 milhões de quilates.

Deste resultado, o país arrecadou uma receita bruta de 232, 8 milhões de dólares. De acordo com a SODIAM, o volume total de vendas corresponde a uma redução de 35,3 por cento em relação ao igual período de 2018. “Este decréscimo resulta, particularmente, da não-concretização das vendas dos lotes da Sociedade Mineira do Catoca, no mês de abril, que representam geralmente cerca de 80 por cento do volume de produção do trimestre”, explicou, Sendji Vieira Dias, chefe do departamento de Planeamento da SODIAM.

As realizações do mercado de diamantes em Angola durante o segundo trimestre de 2019 e as perspectivas para o terceiro trimestre foram apresentados hoje, em Luanda, na sede do Ministério dos Recursos Minerais e Petróleos.

Sendji Vieira Dias, que procedeu a apresentação do balanço, deu conta também que a receita bruta proveniente da actividade de comercialização registou uma redução de 87,3 milhões de dólares em relação ao similar período de 2018.

“Esta redução é fundamentada pelo decréscimo de diamantes vendidos em cerca de 35 por cento”, justificou. O preço médio total do período cifrou-se em 155,37 dólares/ quilate.

As províncias angolanas da Lunda Sul com 89 por cento e Lunda Norte com 11 por cento lideram o volume de produção comercializada entre abril e junho de 2019, sendo que 1.332.939,05 quilates de origem kimberlítica e 165.289,15 quilates de origem aluvionar.

Fonte: JA/BA

Share.

Deixar uma opinião

%d bloggers like this: