Diamantes: Angola inaugurou hoje nova era no comércio mundial

0

Já está a correr “online” o leilão de sete diamantes de qualidade excepcional marcado para hoje e amanhã, contando com 40 empresas inscritas, cinco delas angolanas, para licitar as gemas em disputa, com especial atenção centrada na “pedra” de 114 quilates”, que, tal como as restantes, é oriunda da mina do Lulo, na Lunda Norte.

Neste leilão estão a ser vendidas sete pedras extraídas na mina do Lulo, na Lunda Norte, gerida pelos australianos da Lucapa Diamnond Company. No lote de “pedras especiais” estão incluídos um Type Illa D-Colour, de 114 quilates, e um cor-de-rosa, de 46 quilates.

Numa conferência de imprensa onde foi anunciada oficialmente a iniciativa, o PCA da Empresa Nacional de Comercialização de Diamantes de Angola (Sodiam), Eugénio Bravo da Rosa, explicou que o leilão conta com licitações fechadas, através da plataforma electrónica www.sodiamsales.com, de modo a que os compradores não conheçam as ofertas uns dos outros.

As licitações das sete “pedras especiais” estão a ser feitas desde as 00:00 e até às 12:00 de Angola de amanhã.

O registo é feito através de um código de identificação de usuário e de uma senha, fornecidas via e-mail a cada participante pela plataforma online desenvolvida pela Sodiam.

“Com os dois códigos o participante poderá fazer a oferta de preço e as licitações são individuais para cada pedra. Um determinado concorrente poderá fazer para sete ou para uma”, disse.

Ainda na tarde de quinta-feira ou na manhã de sexta, serão divulgados os resultados do leilão, garantiu Eugénio Rosa.

“Queremos fazer de Angola uma praça de relevo no mercado diamantífero mundial, agora que o país tem uma nova política para o sector, que lhe deu a modernização e uma maior transparência, dando-lhe também credibilidade e maior eficácia e colocando-a nos patamares internacionais”, referiu.

Eugénio Bravo da Rosa informou que os diamantes são provenientes da mina do Lulo, na Lunda-Norte, e que o de 114 quilates é do tipo Illa D-Colour, enquanto o de 46 é um colorido rosa, ambos candidatos a um novo recorde para a indústria diamantífera angolana.

“A mina do Lulo é uma área muito fértil na produção destas pedras preciosas e acreditamos que teremos outras para trazer a leilão”, expôs.

O presidente do Conselho de Administração da SODIAM sublinhou que este leilão vai garantir um maior nível de transparência e modernidade, com a introdução de novas tecnologias para o desenvolvimento da actividade de comercialização.

“Pretendemos que a actividade desenvolvida pela SODIAM seja assente nas melhores práticas internacionais, porque trabalhamos no sentido de criar condições para que os nossos gestores e técnicos se equiparem aos melhores a nível internacional, como os da Antuérpia, Mumbai (Índia), Dubai e Israel”, assinalou.

Recorde-se que a mina do Lulo, gerida pelos australianos da Lucapa e onde a Endiama, que é concessionária, e os privados da Rosa & Pétalas são sócios, os primeiros em partes iguais, foi, em 2016, a recordista mundial por quilate na venda de diamantes, chegando este a valer 2983 USD.

Isto, graças à fama e à qualidade das gemas dali oriundas, especialmente a que foi encontrada em Fevereiro de 2016, com 404 quilates, o maior diamante jamais encontrado em Angola, que entrou para o topo da lista mundial em relação à dimensão e ao valor/qualidade.

Este diamante foi vendido por 16 milhões de USD aos joalheiros mundialmente famosos De Grisogono, empresa suíça que foi adquirida pela empresária angolana Isabel dos Santos, e que, posteriormente, num aturado trabalho de lapidação, a transformou numa jóia rara e de grande qualidade que foi vendida por 34 milhões de dólares.

Fonte: NJ Online / EB

Share.

Deixar uma opinião

%d bloggers like this: