Destituição de Trump segue para o Senado com apresentação de acusação

0

Os nove congressistas democratas apresentaram a acusação “por incitação à insurreição” depois de ter sido aprovada pela Câmara dos Representantes, em 13 de janeiro, por 232 votos a favor, incluindo dez republicanos, e 197 contra.

Esta será a primeira vez que o Senado julga um ex-Presidente dos Estados Unidos, o que levou alguns republicanos a questionarem a legalidade do processo.

Para que o Senado condene Trump, que teria como consequência a inabilitação política, é necessário um mínimo de 67 votos, ou dois terços, um número improvável de alcançar uma vez que democratas e republicanos têm 50 lugares cada.

Caso todos os democratas votem a favor da condenação de Trump, 17 legisladores republicanos também teriam que o fazer e vários, incluindo o líder republicano, Mitch McConnell, mostraram-se pouco claros em relação à sua posição.

McConnell e o novo líder da maioria democrata no Senado, Chuck Shumer, anunciaram na passada semana um acordo sobre as normas que vão reger o processo político e um calendário, com início na semana de 08 de fevereiro.

Este calendário foi ao encontro das exigências dos republicanos, que pediram tempo para que Trump pudesse preparar a defesa.

Este é o segundo processo de destituição contra Donald Trump, que ultrapassou o primeiro no início de 2020 originado pela pressão que exerceu sobre a Ucrâniapara uma investigação à alegada corrupção do atual Presidente dos Estados Unidos, Joe Biden.

Trump é o primeiro Presidente sujeito a dois processos políticos e neste segundo enfrenta a acusação de “incitação à insurreição” pelo ataque ao Capitólio, em 06 de janeiro, por uma multidão de apoiantes.

Pelo menos cinco pessoas morreram no ataque, incluindo um polícia.

Share.

Deixar uma opinião

%d bloggers like this: