Bié tem área de formação em especialidade

0

Um internato para acolher 76 técnicos em formação de especialidade médica, integrado no Hospital Geral Walter Strangway, cidade do Cuito, província do Bié, foi inaugurado, quinta-feira, pela ministra da Saúde, Sílvia Lutucuta.

A infra-estrutura vai albergar 76 médicos internos, especialistas em ginecologia-obstretícia, medicina intensiva e familiar, cirurgia cardíaca, ortopedia, pediatria, oftalmologia, imagiologia e orologia, devendo a formação durar quatro anos.
Chamada a intervir no acto de inauguração, a ministra da Saúde realçou que o internato de diferentes especialidades para áreas prioritárias do país, se insere no cumprimento das metas definidas no Plano Nacional de Desenvolvimento 2018/2022.

Segundo a governante, o internato para a formação médica é o primeiro do género a funcionar na região Centro do país  e configura o exemplo concreto da forte aposta do Executivo na melhoria da prestação de serviço de saúde à população.
“A inauguração do internato médico, alimenta um orgulho muito especial, na medida em que está intrinsecamente relacionada com a formação dos quadros que irão, certamente, ter um impacto significativo na qualidade dos serviços de saúde oferecido no país”, sublinhou a ministra.

Sílvia Lutucuta referiu que a escolha do Hospital Geral Walter Strangway,  para albergar o internato médico, assinala o simbolismo de um programa ambicioso de nível nacional de internato para especialidades nas áreas médicas.
A governante prognosticou que após a formação, o sector da Saúde terá profissionais capacitados, que irão contribuir, cada mais, para que todo o cidadão tenha direito a assistência médica e medicamentosa gratuita e eficaz.

Sílvia Lutucuta lembrou que o país precisa de profissionais motivados, dedicados, com conhecimento e competência capazes de elevar a qualidade da gestão e prestação dos serviços a todos os níveis no território nacional. A ministra referiu que constitui prioridade do Executivo a implementação de políticas que garantem formação, proporcionando a participação dos profissionais na solução dos problemas que afectam a sociedade.

O governador do Bié Pereira Alfredo descreve que a abertura do internato na província veio assegurar a humanização dos serviços de saúde na região.
Pereira Alfredo disse que com o arranque do internato médico, o país e a província, em particular, assinalam o positivo no domínio de formação de especialidade médica.

Ritmo de formação

O país conta hoje com 16 unidades distribuídas em cinco áreas universitárias, que já formaram 1060 médicos especialistas que ainda estão aquém das necessidades da população.
A ministra refere que o Executivo trabalha para que os serviços de saúde sejam integral, reduzindo as assimetrias, garantir equidades e assistência médica e medicamentosa para todos até 2030.
Neste contexto, avançou, o Ministério da Saúde delineou um programa emergencial de formação de médicos especialistas em todas as províncias.

Share.

Deixar uma opinião

%d bloggers like this: