Bento Bento reassume liderança do MPLA em Luanda

0

O Comité Central do MPLA indicou esta terça-feira Bento Joaquim Sebastião Francisco Bento, como candidato único, ao cargo de 1º secretário provincial do partido em Luanda.

Bento Bento, que já exerceu este cargo de 2007 a 2016, vai substituir Joana Lina Ramos Baptista Cândido, com base numa resolução que visa alterar a direcção do Comité Provincial do MPLA em Luanda.

De acordo com o comunicado final da reunião do CC do partido governante, Bento Bento deverá ser confirmado no cargo durante a Conferência Provincial Extraordinária do MPLA em Luanda, prevista para este mês de Abril.

Neste âmbito, sob proposta do Presidente do MPLA, João Lourenço, o Comité Central elegeu Bento Bento para membro do Bureau Político, preenchendo uma vaga existente neste órgão executivo.

Incremento da produção e combate à seca

No domínio económico, o CC encorajou o sector da agricultura e pescas a dar continuidade na criação de condições para o incremento da produção nacional, tendo em vista o alcance da auto-suficiência alimentar e fazer de Angola um país exportador de produtos agrícolas.

A V sessão ordinária do CC, orientada pela líder do MPLA, João Lourenço, considerou a agricultura e as pescas como motores de crescimento económico, de fomento do investimento privado e factor imprescindível para o aumento dos níveis de empregabilidade, sobretudo, da juventude.

Os membros do Comité Central recomendaram que o Executivo acelere o processo de construção e reabilitação de vias de acesso às áreas de produção agrícola, de modo a facilitar o escoamento dos produtos do campo para os locais de consumo, entre outros aspectos.

Ao Executivo foi, também, recomendado que mantenha a aposta na promoção de investimentos em infra-estruturas de irrigação para a produção agrícola a fim de se mitigar os efeitos da estiagem.

Redução dos preços da cesta básica

Na sessão desta terça-feira, o Comité Central congratulou-se com as medidas do Executivo tendentes à redução dos preços dos produtos da cesta básica e a criação de condições para a implementação da reserva estratégica alimentar.

No quadro da V sessão ordinária, o Comité Central encorajou o Presidente João Lourenço a prosseguir com as medidas de combate à corrupção e à impunidade, bem como as demais reformas em curso no país.

Os membros do órgão deliberativo do MPLA exortaram, ainda, os órgãos da administração da justiça a cumprirem com o seu papel à luz da Constituição e da Lei.

Mereceram a análise dos membros do Comité Central do MPLA, entre outros documentos, o Relatório do Bureau Político referente ao ano de 2020. Consideraram positivo o trabalho realizado pelo partido e pelas Organizações Sociais e Associadas, não obstante os constrangimentos causados pela pandemia da Covid-19.

De igual modo, foram analisados os relatórios de execução do orçamento do partido referente ao ano de 2020 e da Comissão de Disciplina e Auditória do Comité Central.

Saudação à Mulher e OMA

O Comité Central saudou à Mulher angolana e às Mulheres de todo mundo pela celebração dos dias 2 e 8 de Março, bem como
congratulou-se com os resultados do 7º Congresso Ordinário da OMA, realizado nos dias 25 e 26 de Março do ano em curso.

Neste âmbito, felicitaram a membro do BP do MPLA, Joana Tomás, pela sua eleição ao cargo de secretária-geral da Organização da Mulher Angolana (OMA).

O Comité Central expressou, igualmente, profundo reconhecimento ao Comité Nacional da OMA cessante e, em particular, a Luzia Inglês “Inga”, pela sua dedicação, entrega abnegada e liderança na condução da maior organização feminina de Angola-

Preservação da paz  e solidariedade

Em alusão ao 4 de Abril, efeméride alusiva ao 19º aniversário do Dia da Paz e da Reconciliação Nacional, o Comité Central reafirmou o seu compromisso de preservar a estabilidade política e social, exortando o povo angolano à manter-se firme na luta pela unidade e reconciliação nacional.

O Comité Central congratulou-se, também, com a liderança de João Lourenço, enquanto Presidente da República e Titular do Poder Executivo, na adopção de medidas oportunas de combate à Covid-19, que evitaram o colapso do sistema nacional de saúde, permitindo a protecção humana e a mitigação dos efeitos desta pandemia (…).

Segundo o comunicado final da reunião, o Comité Central solidarizou-se com às populações do Sul de Angola, afectadas pela seca e apelou ao Executivo e à sociedade civil para prestar o maior apoio a fim de mitigar as dificuldades que enfrentam.

Por último, o Comité Central do MPLA condenou os actos de terrorismo contra as populações indefesas de Cabo Delgado, expressando a sua solidariedade ao povo irmão de Moçambique.

 

Share.

Deixar uma opinião

%d bloggers like this: