Ataque ao WhatsApp. Eis como saber se está seguro

0

Uma vulnerabilidade encontrada no WhatsApp permite que um software malicioso seja capaz de recolher dados dos smartphones dos utilizadores da app de mensagens. Basta uma chamada não atendida para o software em questão conseguir fazer o seu trabalho, num caso que representa perigo para os mais de 1.5 mil milhões de utilizadores do WhatsApp.

Felizmente há algo que pode fazer. Só tem de atualizar a app de mensagens para garantir que está seguro e não tem nada a temer. Se ativou as atualizações automáticas para o WhatsApp é provável que o seu smartphone já esteja seguro, mas como saber com certeza? Basta ter a certeza que tem instalada a versão 2.19.134 da aplicação.

Em sistema operativo Android basta entrar na Play Store, ir ao menu no canto superior esquerdo e dirigir-se a ‘My apps & games’. Uma vez aqui deverá procurar pelo WhatsApp no separador dedicado a apps instaladas, entrar na respetiva página e premir ‘Read more’ para aceder à área ‘App Info’, onde poderá ficar a saber a versão que tem instalada. Caso não tenha a versão 2.19.134 instalada, só tem de proceder à atualização.

Os utilizadores de iPhone também podem saber qual a versão do WhatsApp que têm instalada. Se tiver um dispositivo com sistema iOS entre na App Store e dirija-se ao separador ‘Updates’ para procurar pelo WhatsApp. Escolha a opção ‘More’ para ver a versão que tem instalada, devendo proceder à atualização se tiver uma versão antiga.

Fonte: N. Minutos/LD

Share.

Sobre o autor

Avatar

Eliseu Augusto Botelho é jornalista da Televisão Pública de Angola desde Dezembro e 1999. Foi editor do 1º Jornal e do Jornal Nacional, ambos na TPA2 e Coordenador do Jornal da Tarde e co-coordenador do Telejornal, ambos na TPA1. Já foi chefe de redacção do Centro de Produção da TPA em Caxito-Bengo. Actualmente exerce a função de jornalista na Direcção de Multimédia da TPA, cuja tarefa é gerir os conteúdos publicados nas várias páginas do facebook da estação e no seu site oficial. Tem o curso médio de Jornalismo do IMEL e várias formações em Angola e Portugal com professroes, Angolanos, Brasileiros e Portugueses. É licenciado em Relações Internacionais, pelo Instituto Superior de Relações Internacionais, afecto ao Ministério das Relações Exteriores da República de Angola.

Deixar uma resposta