“As cicatrizes são os meus diamantes”, diz jovem com 85% da cara queimada

0

Aos dois anos ficou com grande parte da cara queimada e foi obrigada a crescer ouvindo comentários depreciativos. Agora, com 25 anos, está segura de si e das suas cicatrizes.

Alyssa McDonald tinha apenas dois anos quando um acidente no interior da sua casa em Cincinnati, no estado norte-americano de Ohio, mudou a sua vida para sempre: quando a mãe cozinhava, Alyssa aproximou-se e entornou manteiga derretida sobre o rosto.

A então menina ficou em estado grave e os médicos chegaram mesmo a aconselhar os pais a começarem os preparativos para o funeral, pois a filha não sobreviveria.

Porém, Alyssa foi mais forte do que os médicos esperavam e recuperou do coma em que se encontrava, tendo crescido de forma saudável.

O mais difícil, conta ao jornal Metro, foi ir para a escola e ser chamada de monstro devido às suas cicatrizes. Alyssa, que é agora educadora de infância, lembrou ainda um episódio que teve lugar na noite de Halloween.

“Fui a uma loja pedir doces e a funcionária deu-me os parabéns porque a minha máscara era a mais realista que ela tinha visto em todo o dia. Quando lhe disse que não era uma máscara ficou mortificada”, lembrou.

Até aos 16 anos, Alyssa foi submetida a várias cirurgias com o objetivo de amenizar as cicatrizes que ainda tem no rosto desde que a manteiga lhe queimou 85% do rosto.

Agora, aos 25 anos a jovem garante que não será submetida a mais cirurgias plásticas pois as cicatrizes que tem no rosto são os seus “diamantes”.

“Eu mostro as minhas cicatrizes como se fossem diamantes”, assegurou Alyssa, frisando que se as pessoas não aceitarem a sua aparência então o “problema é delas”.

“Não há nada que eu possa fazer quanto a isso. As minhas cicatrizes são o meu acessório mais importante e colocam em evidência a minha personalidade”, explicou.

Fonte: Notícias ao minuto/BA

Share.

Deixar uma opinião

%d bloggers like this: