Pelo menos três apresentadoras da televisão estatal iraniana, IRIB, anunciaram a sua demissão através das redes sociais, naquilo que é descrito como uma “crise de confiança” causada pelas tentativas iniciais por parte das autoridades iranianas em negar responsabilidade no despenhamento do avião ucraniano, que causou a morte a 176 pessoas.

“Foi muito difícil para mim acreditar que tinham matado os nossos cidadãos. Perdoem-me por ter descoberto tão tarde. E perdoem-me pelos 13 anos em que vos contei mentiras”, disse uma delas, Gelare Jabbari, através do Instagram, numa publicação citada pelo Guardian que já não se encontra ativa.

Uma pivô da emissora estatal, Saba Rad, abandonou o cargo após 21 anos de carreira. “Obrigado pelo vosso apoio em todos estes anos de carreira. Anuncio que, depois de 21 anos a trabalhar na rádio e na televisão, não posso continuar a trabalhar na comunicação social. Não posso”, confessou.

Zahra Khatami, também tornou pública a sua decisão e também pediu perdão. “Obrigado por me terem aceitado como pivô até hoje. Nunca mais voltarei à televisão. Perdoem-me”, escreveu.

Recorde-se que um avião de passageiros com 176 pessoas a bordo caiu junto ao aeroporto de Teerão, pouco depois de ter descolado, num incidente que aconteceu no meio de uma crise de relações entre o Irão e os Estados Unidos, após a morte do general iraniano Qassim Soleimani numa operação militar ordenada pela administração de Donald Trump.

O despenhamento foi primeiro atribuído a uma falha no motor, mas a investigação acabaria por determinar que se tratou de um abate por míssil. O presidente iraniano, Hassan Rouhani, pediu perdão, admitindo que o derrube tinha acontecido “por erro humano”.

Fonte: NM/BA

Share.

Deixar uma resposta

%d bloggers like this: