Apple pode estar a preparar o maior iPhone de sempre

0

A Apple parece estar a apostar em três novos iPhone para este ano: um deles será o maior de sempre, com um ecrã capaz de rivalizar com o topo de gama da Samsung, outro com o mesmo tamanho que um iPhone X e um terceiro, de entrada de gama, avança a Bloomberg.

O lançamento deve acontecer apenas lá para o outono, como é habitual, mas tudo indica que os testes já estarão a decorrer.

O maior iPhone poderá vir a ter um ecrã de 6,5 polegadas, mais do que as 6,2 polegadas do Galaxy S9 Plus e do que as 6,3 polegadas do Galaxy Note 8. Entre as especificações, ainda não confirmadas pela Apple, há indicações de resolução de 1242×2688 pixéis, um ecrã OLED, um sistema de reconhecimento facial e um processador A12. Por outro lado, este iPhone XXL pode ainda ter dual-SIM ou tecnologia E-SIM.

Bob O’Donnell, analista da Technalysus Research, ouvido pela Reuters resume que se trata de «um maior, um mais barato e outro para atualizar o iPhone X». A estratégia dos fabricantes de smartphones, depois de se registarem os primeiros períodos de quebras, parece passar por trazer novidades, que “obriguem” os consumidores a trocar de telefone com maior frequência do que seria necessário.

Ainda não se sabe se a empresa de Cupertino vai descontinuar alguns dos modelos mais antigos.

Fonte: Exame Informática / EB

Share.

Sobre o autor

Eliseu Augusto Botelho é jornalista da Televisão Pública de Angola desde Dezembro e 1999. Foi editor do 1º Jornal e do Jornal Nacional, ambos na TPA2 e Coordenador do Jornal da Tarde e co-coordenador do Telejornal, ambos na TPA1. Já foi chefe de redacção do Centro de Produção da TPA em Caxito-Bengo. Actualmente exerce a função de jornalista na Direcção de Multimédia da TPA, cuja tarefa é gerir os conteúdos publicados nas várias páginas do facebook da estação e no seu site oficial. Tem o curso médio de Jornalismo do IMEL e várias formações em Angola e Portugal com professroes, Angolanos, Brasileiros e Portugueses. É licenciado em Relações Internacionais, pelo Instituto Superior de Relações Internacionais, afecto ao Ministério das Relações Exteriores da República de Angola.

Deixar uma resposta