ANGOSAT – 6 engenheiros serão formados em aplicações espaciais na Airbus

0

Seis técnicos afectos ao Gabinete Geral Do Programa Espacial Nacional (GGPEN) do Ministério das telecomunicações e Tecnologias de Informação vão ser formados cursos de Mestrado na especialidade de aplicações espaciais na cidade francesa de Toulouse.

A formação dos jovens engenheiros angolanos, surge da parceria entre o Ministério das Telecomunicações e Tecnologias de Informação e a Empresa francesa Airbus, nas construções dos satélites ANGOSAT- 2 e 3.

“O mestrado concentra-se muito em aplicações espaciais, eles vão estudar os diferentes satélites, comunicação, observação da terra, navegação e depois vão aprender a desenhar soluções para prever serviços as populações. Por exemplo, eles vão aprender como se pode prever os níveis dos rios a nível do país e antecipar o fenómeno secas um dos grandes problemas que afecta o país nesta altura”. Sublinhou o Diretor do Gabinete Geral Do Programa Espacial Nacional, Engenheiro Zolana João.

Durante os últimos cinco anos, o GGPEN adstrito ao Ministério das Telecomunicações e Tecnologias de Informação (MTTI) já formou 70 especialistas, entre doutores, mestres e licenciados em vários países com destaque para Japão, França, Rússia, Emirados Árabes Unidos, Reino Unido e Chin.

Os jovens têm em media vinte e seis anos de idade e possuem experiencias em diversas áreas de engenharia certificados pela agência espacial russa.

“ A expectativa é muito alta, tendo em conta que no âmbito da capacitação de quadros nacionais, temos algum conhecimento na área espacial sobre tudo naquilo que implica na operação e construção de satélites e agora nós vamos aprofundar mais naquilo que são os serviços que beneficie a nossa população e desenvolver os serviços sustentáveis”. Destacou Eldriz de Melo, Engenheiro de sistema de informação.

Engenheiro de sistema de informação, Eldriz de Melo

“Eu sou especialista sénior para área de canal de serviços, uma área que focada nas questões relacionadas na comunicação entre a estação terrena e o satélite, assegurar que todas as comunicações de rádio frequência estejam operacionais. Tenho muita boa espectativa e é muito importante nos focarmos naquilo que são as aplicações espaciais”. Bevania Martins, Engenheira informática.

Engenheira Informatica, Bevania Martins.

Representantes da embaixada da França estiveram presentes no e manifestram a intenção de continuar a formar jovens nas diversas áreas das tecnologias.

O projeto de formação vai permitir o desenvolvimento das aplicações dos diferentes tipos de satélites que serão lançados nas comunidades e na observação da terra. O ANGOSAT 3 será o satélite com maior nível de tecnologia da África Subsariana sendo o satélite que, na sua categoria tem o maior nível de percussão no mundo.

Quando for lançado, terá uma aplicação que abrange a cartografia, censo da população, respostas aos riscos naturais, segurança marítima, luta contra a piratearia, contra desflorestação, agricultura entre outros.

Share.

Deixar uma opinião

%d bloggers like this: