Afeganistão: Pelo menos 9 civis morrem em alegado bombardeamento dos EUA

0

O atentado “contra civis que acampam para a colheita de pinhões” ocorreu às 01:30, horário local (22:00 de quarta-feira em Lisbosa) na área de Wazir-Tangi, na província de Nangarhar, disse a agência de notícias EFE o porta-voz do governo regional, Attaullah Khogyanai.

“Até agora, já foram levados nove corpos e quatro feridos para o hospital provincial, todos são civis”, disse o porta-voz, referindo que a área onde ocorreu o bombardeamento é “remota e montanhosa”, com quase nenhuma comunicação, por isso não há mais detalhes.

Um membro da assembleia provincial de Nangarhar, Ajmal Umar, disse à EFE que, de acordo com as informações recebidas dos moradores da área e dos líderes tribais, o número de mortes no “atentado dos EUA” é 25 e o número de feridos será “mais de 30”.

Ajmal Umar garantiu que todos são “pobres aldeões” e que estavam no local para a colheita de pinhões, já que agora é a alta temporada.

Outro membro da assembleia provincial, Zabihullah Zmarai, confirmou à EFE o incidente e insistiu que todas as vítimas eram “agricultores e moradores pobres que estavam nas montanhas para colher pinhões pretos”.

A confirmação oficial do número de vítimas será complicada, pois, segundo Zmarai, a área “não está sob o controlo das forças de segurança”.

Em Nangarhar existem grandes territórios controlados pelo grupo extremista Estado Islâmico (EI), que tem a sua base na província, e pelos talibãs.

Especificamente, a área de Wazir-Tangi, onde ocorreu o incidente, é considerada a área mais insegura da província, onde tanto os talibãs quanto o EI têm combatentes posicionados nas montanhas.

Nos últimos três anos, as forças de segurança do Afeganistão e dos EUA falharam em proteger a área, apesar de terem lançado várias operações antiterrorista na região.

O porta-voz das tropas norte-americanas no Afeganistão, o coronel Sonny Leggett, disse à EFE que a coligação internacional está ciente dos relatos de mortes de civis.

“Estamos a trabalhar com autoridades locais para determinar os fatos e garantir que não seja uma manobra desviar a atenção dos civis mortos pelos talibãs hoje num hospital em Zabul”, disse Leggett.

O alegado incidente ocorreu um dia após um ataque rebelde contra um prédio do Governo na capital de Nangarhar, Jalalabad, no qual sete pessoas morreram, incluindo os três atacantes, e 13 outras ficaram feridas.

A Missão da ONU no Afeganistão (UNAMA) informou em julho passado que, na primeira metade do ano, o número de mortes de civis em bombardeamentos aéreos de tropas internacionais e afegãs no país duplicou em comparação com o mesmo período de 2018, com um total de 363 mortes, 89 destas de menores.

Fonte:NM/JS

 

Share.

Sobre o autor

Avatar

Deixar uma resposta