4ª Edição do Festival de Teatro em Benguela marcada pela ausência de público nos espectáculos

0

A pouca adesão do público durante as exibições dos espectáculos da 4ª edição do Festival de Teatro de Benguela (Festeb), que decor-reu de 23 a 26, no Cine Monumental Teatro, foi para a organização um dos aspectos menos produtivos.

O organizador do festival e director artístico do grupo Tweya, António Manuel Praia, lamentou, ontem, ao Jornal de Angola, o facto de o pú-blico ter estado ausente nos espectáculos, apesar de ter sido feita muita publicidade sobre a realização do projecto. Todavia esse aspecto não prejudicou o sucesso organizativo do festival, como explicou António Manuel Praia, que elogiou os dez grupos participantes. “Agora, é preciso identificar as razões da fraca participação dos espectadores”, disse.
Este ano, adiantou, apesar dos parcos recursos, a organização procurou manter o mesmo nível de organização das edições anteriores, de forma a tornar o festival mais produtivo. Durante os quatro dias, foram exibidas no festival dez peças, com temas generalizados, cujo teor foi dos aspectos socioculturais aos políticos. “Vamos continuar a fazer o papel de sensibilizadores, utilizando o teatro para chamar a atenção das pessoas sobre os principais problemas que afligem a sociedade angolana”, rematou, tendo igualmente destacado o impacto que o festival tem tido junto da comunidade benguelense.
O programa

O Cine Monumental Teatro foi o palco de mais uma edição do Festeb, que reuniu dez grupos de quatro províncias. Este ano, participaram no festival o Artes Sol, Amazonas Teatro, Twana twa Ngola e Monte Sinai (Luanda), Estrela em Palco (Cuando Cubango), Filho da Arte (Cuanza-Sul) e Horizonte d’Arte, Upangue, Geração Twapanga e Tweya (Benguela).
O festival de artes foi aber-to pelo grupo Geração Twapanga, com a peça “Corno nas Bandas” e encerrou com “Cemitério 38”, do Ama-zonas Teatro. Além dos es-pectáculos, foram realizadas oficinas de dramaturgia, técnicas de encenação e de representação.

O festival foi aberto pelo grupo Geração Twapanga, com a peça “Corno nas Bandas” e encerrou com “Cemitério 38”, do Amazonas Teatro. Além dos espectáculos, foram realizadas oficinas de dramaturgia, técnicas de encenação, representação, caracterização, expressão corporal e de marketing e publicidade.

No final, a organização do festival atribuiu distinções aos melhores actor e actriz, melhor dramaturgia, encenação e espectáculo. O Festeb tem contado com o apoio da Associação Provincial de Teatro de Benguela (Aproteb) e da Direcção Provincial da Juventude e Desportos.

Share.

Deixar uma opinião

%d bloggers like this: