A Associação Portuguesa de Fertilidade (APFertilidade) revela as dez formas de prevenir aquele que é um dos problemas mais temidos pelos casais de todo o mundo.

“A infertilidade é o resultado de uma falência orgânica devida à disfunção dos órgãos reprodutores, dos gâmetas ou do concepto. Um casal é infértil quando não alcança a gravidez desejada ao fim de um ano de vida sexual contínua sem métodos contraceptivos”. É desta forma que a Associação Portuguesa de Fertilidade (APFertilidade) descreve aquele que é um dos problemas mais temidos pelos casais.

A definição apresentada é, como se lê no site do organismo, “válida para o casal com vida sexual plena de amor e prazer (3-5 vezes por semana), em que a mulher tem menos de 35 anos de idade e em que ambos não conhecem qualquer tipo de causa de infertilidade que os atinja”. Embora tanto a infertilidade feminina como a masculina possa ser vista como causa para o insucesso da gravidez (estando os dois géneros com uma taxa de infertilidade similar), “também se considera infértil o casal que apresenta abortamentos de repetição (a partir de três consecutivos)”.

A prevenção da infertilidade passa pela adopção de uma série de hábitos e actitudes diárias que permitem melhorar a saúde e a condição reprodutiva do casal, dois aspectos fundamentais não só para se conseguir gerar uma gestação, mas também para que a gravidez seja de sucesso.

Em Portugal, diz a APFertilidade, cerca de 300 mil casais são inférteis, sendo que entre 10 a 15% dos casais que fazem tratamentos de fertilidade podem precisar de doação de óvulos ou espermatozoides.

Num comunicado enviado esta segunda-feira às redações, a Associação Portuguesa de Fertilidade (APFertilidade) revela como é possível prevenir esta incapacidade de engravidar, devendo o casal procurar sempre o apoio e aconselhamento de um especialista.

Fonte: Lifestyle saúde/BA

Share.

Deixar uma opinião

%d bloggers like this: