250 mil vão receber material e micro-crédito para negócios

0

A partir de amanhã até 2021, cerca de 250 mil cidadãos vão beneficiar, em todo o país, de programas de micro-créditos e kits profissionais, através do Plano de Acção para Promoção da Empregabilidade (PAPE), num projecto orçado em 21 mil milhões de kwanzas.

O PAPE, cujo acto nacional de lançamento acontece amanhã no Cuando Cubango, é um programa que tem como objectivo reduzir a taxa de desemprego, combater a pobreza, a vulnerabilidade e fazer crescer a economia, tornando Angola num país melhor e com um futuro mais esperançoso.
Em conferência ontem, o director-geral do Instituto Nacional de Formação Profissional (INEFOP) no Cuando Cubango, Manuel Mbangui, explicou que o programa tem duração de três anos.
A cerimónia de lançamento do PAPE vai ser presidida pelo ministro da Administração Pública, Trabalho e Segurança Social, Jesus Maiato, e prestigiada pela presença do governador provincial, Júlio Bessa.
Seis meses depois da publicação em Diário da República, o PAPE coloca à disposição, a partir de amanhã, o correio electrónico oficial www.pape.gov.ao onde os interessados devem inscrever-se para aderir ao programa.
Outros meios de inscrição podem ser feitos através dos centros de emprego e de formação profissional, SIAC e os correios electrónicos www.maptss.gov.ao, pape@maptss.gov.ao. Estará ainda disponível no Serviço de Plataforma Electrónica (Sepe) e em aplicativos para telemóveis, incluindo a linha telefónica 222 338 940, bem como nas redes sociais.
Mais de 200 jovens, que vão beneficiar do programa nesta primeira fase, estão expectantes com o lançamento do PAPE, por considerarem uma esperança para melhorar a sua condição de vida.
O jovem Marcelo António, entrevistado pelo Jornal de Angola, disse esperar que tudo dê certo para não ser mais um dos programas com fracasso anunciado. O jovem alertou aos dirigentes para que tornem o programa o mais transparente possível, “porque muitos jovens não se inscreveram por sentirem-se desacreditados, mas vou esperar o dia da abertura para me inscrever.” “Estou desempregado há quase dois anos e espero encontrar a oportunidade para criar o meu próprio negócio”, realçou.
Dados publicados recentemente pelo Instituto Nacional de Estatística (INE) indicam que a província do Cuando Cubango está entre as que têm maior índice de desemprego no país, estando no mesmo gráfico que Cunene, Moxico, Lunda-Norte e Lunda-Sul, onde a incidência pode chegar até aos 40 por cento das três milhões de pessoas que representam o número de desempregadas de todo o país.
A escolha para o lançamento do PAPE no Cuando Cubango, de acordo com Manuel Mbangui, foi de propósito. “Cuando Cubango é a província escolhida por apresentar um índice elevado de desemprego. O INE publicou que a taxa de desemprego para essa região chega até aos 40 por cento”, disse.
Um dos procedimentos apontados pelo director do INEFOP, para que os beneficiários do PAPE sejam legalizados, consiste na apresentação dos documentos passados pelas administrações, para que a actividade seja reconhecida, formalizada e, posteriormente, fazer a inscrição no Instituto Nacional de Segurança Social (INSS), obedecendo ao Sistema de Protecção Social Obrigatório.
Manuel Bangui garantiu que, no Cuando Cubango, estão identificados 170 projectos que vão beneficiar de micro-créditos, 17 projectos para apetrechar e atribuição de carteiras profissionais a 25 pessoas.

Alinhamento do PAPE

Manuel Mbangui explicou que a planificação do PAPE teve alguns sobressaltos, devido a necessidade de se ajustar novas medidas que vão ao encontro da actual realidade do país, depois das informações publicadas pelo INE. Em função disso, segundo o director-geral do INEFOP, conseguiu-se apurar o número da população economicamente activa, constituída por cerca de 12 milhões de cidadãos. Deste número, adiantou, nove milhões estão empregados, perfazendo assim cerca de três milhões de desempregados em todo o país. “Com essas informações era necessário realinhar a actuação do PAPE”, acrescentou.

Plataforma “eBumba”

A plataforma “eBumba”, um espaço que vai servir de interacção entre clientes e prestadores de serviços, é lançado igualmente amanhã. Neste espaço, os jovens formados pelo PAPE e outros organismos vão estar cadastrados para melhor desenvolverem as suas habilidades.
Manuel Mbangui admitiu que esta medida surge em resposta ao facto de, durante muito tempo, o sistema ter formado jovens de diferentes áreas de prestações de serviços, mas sem os cidadãos saberem onde encontrá-los. “Só no ano passado formamos perto de 48 mil jovens, em 148 especialidades. Na plataforma vão estar disponíveis profissionais capazes de trocar uma lâmpada, montar um ar condicionado, barbeiros, electricistas-auto, mecânicos, etc.”, disse.

Fonte:JA/JS

Share.

Deixar uma resposta