1º de Agosto e Interclube reconquistam campeonatos

0

O Interclube sagrou-se campeão nacional em masculinos, ao vencer ontem o 1º de Agosto, por 21-20, trinta anos depois da conquista do segundo título, feito alcançado em 1989, depois da primeira em três anos antes, na final disputada no Gimnodesportivo da Cidadela.

A equipa sénior feminina do 1º de Agosto, por seu turno, revalidou o título da 41ª edição do Campeonato Nacional de andebol, ao derrotar o Petro de Luanda, por 20-13. Esta é a sétima conquista das militares contra 24 das petrolíferas.
No desafio mais esperado da final, com excelente início, o 1º de Agosto vencia por 4-1 aos seis minutos, o que levou o treinador Vivaldo Eduardo a pedir, desde logo, um “time-out”. O Petro de Luanda reagiu e, lentamente, foi reduzindo a desvantagem. 
Melhores na abordagem do jogo, as militares nunca perderam o controlo do marcador, e ao intervalo ganhavam por (11-6). As agostinas optaram pela marcação à zona para travar o ataque adversário. Vivaldo Eduardo olhava para o banco e não encontrava soluções para equilibrar o jogo com o conjunto do Rio Seco. Na etapa complementar, o 1º de Agosto manteve a superioridade que trazia do primeiro tempo e aos poucos fugiu no marcador. A formação do Eixo Viário foi perdendo as esperanças, já que a treinada pelo dinamarquês Morten Soubak manteve o controlo e o domínio do jogo. A vitória do 1º de Agosto não sofre qualquer contestação, porque foi a equipa mais esclarecida, diante de um Petro de Luanda sem arte nem engenho para contrapor os argumentos do opositor. Ao vencer a Marinha por 22-25, o 1º de Agosto B classificou-se na terceira posição do campeonato.
Quebra de jejum
Em masculinos, com alternância no marcador, 1º de Agosto e Interclube realizaram um jogo “electrizante” e impróprio para cardíacos. As duas equipas estavam empenhadas e decididas a vencer o troféu. Na ânsia de manter a taça, a formação militar entrou forte no jogo e colocou-se à frente do marcador, com golos de Feliciano Gouveia e Gabriel Teka. Mas o Interclube reduziu a desvantagem, por intermédio de Edgar Abreu “Pelu”, decorridos sete minutos. O 1º de Agosto apresentou-se com o sistema táctico (3-3), com três jogadores na primeira linha e igual número na segunda. O Interclube optou pelo 5-1, com cinco atletas na primeira linha e um na segunda. Com maior frescura táctica, a equipa de Filipe Cruz esteve sempre à frente do marcador e dificultava as acções ofensivas da formação da Polícia Nacional. Inteligentemente, o treinador José Pereira “Kidó” solicitou um minuto de desconto para arrefecer o ímpeto ofensivo do 1º de Agosto que veio a resultar, com as duas equipas a terminarem a primeira parte empatadas a dez golos.
Na segunda parte, os dois conjuntos jogaram o tudo ou nada, com o 1º de Agosto a liderar sempre a marcha do marcador. A partida registou oito igualdades. A faltar um minuto para o fim do jogo, o Interclube deu a “cambalhota” no resultado, ao triunfar por 21-20, destronando o 1º de Agosto do título, ao passo que a Marinha de Guerra classificou-se na terceira posição, ao vencer por 22-21, o Petro de Luanda.

Share.

Deixar uma opinião

%d bloggers like this: