1º de Agosto consente derrota mas entra para a fase de grupos

0

Um ano depois do feito protagonizado com a presença nas meias-finais, o 1º de Agosto, tetra-campeão angolano, confirmou ontem o regresso à fase de grupos da Liga dos Clubes Campeões, apesar da derrota frente ao Green Eagles da Zâmbia, por 1-0, no Estádio Nacional 11 de Novembro, em jogo referente à segunda “mão”, mas beneficiou da vitória, por 2-1, no reduto do adversário.

Melhor o 1º de Agosto na entrada, a ter bola e a dar sentido ao 4-4-2 promovido por Dragan Jovic, que abdicou do 4-5-1. O bósnio manteve o “onze” que utilizou no desafio de Lusaka.
Os médios desempenhavam um papel fundamental, porque dificultavam as iniciativas de jogo do Green Eagles, o que obrigou o técnico Aggrey Chiangi a baixar as linhas mais adiantadas no terreno, para impedir que o conjunto do Rio Seco se adiantasse no marcador nos minutos iniciais do desafio.
Na primeira fase de construção, o 1º de Agosto mostrou ser uma equipa bastante consistente. Isaac e Paizo subiam para atacar e desciam para defender. Houve períodos de jogo que tardavam em fazer as compensações necessárias a Bobô e Massunguna.
À semelhança do primeiro desafio, Zito Luvumbo e Ary Papel desfeiteavam a defensiva contrária com rasgos individuais, finalizados com cruzamentos perigosos. O ataque da equipa angolana foi bastante perdulário.
Aos 16 minutos, o árbitro etíope anulou um golo limpo de Mabululu, alegando que o avançado angolano estava em posição irregular, quando o defesa Spencer Sautu colocou em jogo o melhor marcador do Girabola’2018/19.
Em determinados momentos de jogo, o 1º de Agosto quando tinha a posse da bola permitia a organização defensiva da equipa zambiana. Os médios com características ofensivas levavam algum tempo a municiar a bola aos avançados.
Sabendo do poderio da formação militar, o técnico Aggrey Chiangi inovou o “onze” que alinhou na Zâmbia, deixando no banco três habituais titulares, casos de Samson Chilupe, Bonston Muchindu e Wamundila, apostando em Haakalunda, Mwenda e Kunda.
Apesar de dominar em termos de posse de bola, o tetra-campeão nacional não encontrava espaço para finalizar em golo as oportunidades criadas. A jogar num 1-4-4-2, o Green Eagles defendia-se à entrada da área. Decorridos 42 minutos, os forasteiros inauguraram o marcador por intermédio de Tapson Kaseba. A bola foi desviada por um defensor militar, enganando o guarda-redes Tony Cabaça. Antes, já haviam ameaçado com uma bola ao poste, com Cabaça batido.
Durante os primeiros 45 minutos, a equipa de Dragan Jovic fez um jogo muito bem conseguido, apesar de sair ao intervalo a perder. Aliás, tinha esta obrigação. Jogava em casa e ambicionava a qualificação para a fase de grupos. O detentor do título do Girabola esteve confortável no desafio.
Na etapa complementar, o 1º de Agosto entrou com maior dinâmica, encostando o Green Eagles ao seu meio campo, obrigando-o a jogar no erro, o que não foi bem aproveitado pelos dianteiros militares. Nas estatísticas, a equipa rubra e negra teve 56 por cento de posse de bola contra 46 do adversário, com o intuito de igualar a partida. Inconformado com o resultado, Dragan Jovic refrescou o meio campo e o ataque com as saídas de Zito Luvumbo, Kila e Mabululu, e as entradas de Buá, Nelson da Luz e Lionel Yombi. Mas, o Green Eagles fechou-se para não correr riscos. Esta é a terceira participação do 1º de Agosto na fase de grupos da prova continental, depois de 1997 e 2018/ 2019.

Fonte: JA/LD

Share.

Sobre o autor

Avatar

Eliseu Augusto Botelho é jornalista da Televisão Pública de Angola desde Dezembro e 1999. Foi editor do 1º Jornal e do Jornal Nacional, ambos na TPA2 e Coordenador do Jornal da Tarde e co-coordenador do Telejornal, ambos na TPA1. Já foi chefe de redacção do Centro de Produção da TPA em Caxito-Bengo. Actualmente exerce a função de jornalista na Direcção de Multimédia da TPA, cuja tarefa é gerir os conteúdos publicados nas várias páginas do facebook da estação e no seu site oficial. Tem o curso médio de Jornalismo do IMEL e várias formações em Angola e Portugal com professroes, Angolanos, Brasileiros e Portugueses. É licenciado em Relações Internacionais, pelo Instituto Superior de Relações Internacionais, afecto ao Ministério das Relações Exteriores da República de Angola.

Deixar uma resposta